Pular para o conteúdo
08/12/2022 00:48:16 - Farroupilha / RS
Acessibilidade
Atualizado em 22 de novembro de 2022

Vereadores sugerem criação de uma praça sensorial na cidade

Vereadores aprovaram por unanimidade, nesta terça-feira o Requerimento 144/2022 que aponta pela adaptação de um espaço público de lazer para pessoas com deficiência física ou psicossocial.

Estimulados a analisar o tema por conta dos recentes relatórios apresentados pela ONU, IBGE e Secretaria Municipal da Saúde, quanto ao crescimento de crianças identificadas com algum nível de autismo, os vereadores das bancadas do PDT, PSB e Republicanos sugerem a Administração Pública que a Praça da Bandeira seja modelo de espaço público adaptado a pessoas com deficiências.

Conforme o vereador Roque Severgnini, que apresentou a proposição, o trabalho foi realizado em conjunto com as Associações do Município: Amafa, Apae, Amdef e Afadev as quais apontaram quais as necessidades a serem inseridas na praça.

Propõe-se que o local seja de terreno plano, sem obstáculos, com espaço sensorial, pista e muro tátil; e piscina de bolinhas de cores contrastantes com foco nas pessoas com baixa visão e autismo, além de brinquedos adaptados para deficiência física e acompanhamento de profissional capacitado para atendê-los.

Em Farroupilha, o número de atendimentos de autismo infantil pela Secretaria Municipal de Saúde passou de 378 em 2021 para 750 neste ano, alcançando a segunda maior causa de atendimentos relacionados a saúde mental em Farroupilha. No Brasil, a ONU estima haver dois milhões de pessoas com espectro autista, dado que se tornou relevante inclusive na análise do Censo demográfico.

Atualmente, conforme registro das entidades, há em Farroupilha cerca de 260 cidadãos com algum tipo de deficiência.

Amafa: atende 60 pessoas de 04 a 59 anos;

Afadev: atende 31 pessoas cegas ou com baixa visão;

Amdef: possui 24 associados;

Apae: 85 alunos na escolarização, 30 no atendimento educacional especializado e 30 na área da saúde.