Pular para o conteúdo
26/11/2022 19:59:23 - Farroupilha / RS
Acessibilidade
Atualizado em 21 de junho de 2022

Simplás trata de consciência ambiental em Sessão parlamentar

Farroupilha possui a segunda maior densidade populacional da Serra Gaúcha. Nos últimos 20 anos, a população passou de 55 mil para 73 mil pessoas – uma média de mil habitantes por km² de área central. Esses são dados apresentados pelo Sindicato da Indústria do Plástico, Simplás, que esteve na sessão através de seu representante, o empresário Cláudio Henrique Meneguel, a convite do vereador Calebe Coelho.

O crescimento populacional é dado importante para o planejamento da cidade, a qual a cada ano consome mais, transita mais e ocupa mais áreas. Atualmente há no município cerca de 47 mil veículos registrados – elemento necessário pra rotina do farroupilhense, porém poluente ao ecossistema. Quanto a água, entre banheiros, ingestão e higienização, a média de consumo diário por pessoa é de 154 litros de água potável.

Meneguel apresentou esses cálculos aos parlamentares como forma de exemplificar os variados cenários que causam prejuízos ao meio ambiente, porém, o foco maior de preocupação do Sindicato é a destinação dos resíduos sólidos domésticos. Segundo o empresário, cerca de 23% dos alimentos adquiridos são rejeitados, e a má separação do lixo contamina materiais recicláveis, superlotando aterros sanitários e criando lixões. Atualmente há 2.612 lixões ativos no Brasil.

Como forma de combate, em 2010 foi sancionada no âmbito federal a Política Nacional de Resíduos Sólidos, porém apenas neste ano, em janeiro, através do Decreto 10.936 que definiu-se as responsabilidades pelo descarte consciente, enfatizando uma  gestão compartilhada, a qual o cidadão tem o dever de acondicionar, segregar e dar o destino ao lixo; e órgãos públicos e privados em administrar a logística reversa dos mesmos.

Diante disso, o Simplás busca, através da Câmara, ações municipais que auxiliem na publicidade do tema junto a população, tornando-a ciente de seus deveres e de suas consequências na linha de atuação de resíduos sólidos. Com base na Lei Federal, os vereadores estudarão mecanismos de atuação a fim de coibir o descarte irregular de lixo na cidade.