Pular para o conteúdo
02/02/2023 05:15:40 - Farroupilha / RS
Acessibilidade
Atualizado em 29 de novembro de 2022

Três mil pessoas esperam por um transplante de órgãos no RS

Para tratar do tempo de espera na fila para doação de órgãos, os vereadores receberam na noite desta segunda-feira a senhora Lurdes Guaragni Zardo. Sua vinda foi estimulada pelo vereador Calebe Coelho, para retratar o cenário de pessoas que aguardam algum tipo de transplante de órgãos.

Lurdes foi acometida em 2010 por uma grave pneumonia que culminou em sequelas pulmonares, vindo a necessitar do uso de oxigênio em 2015. Com a evolução da doença, a senhora entrou, em 2018, na fila para o transplante de pulmão. Desde então, realiza consultas a cada dois meses em Porto Alegre e constantes sessões de reabilitação.

No Brasil, a lista de pessoas que aguardam algum tipo de órgão alcança 60 mil – entre elas- três mil no Rio Grande do Sul. A maior procura no Estado são córneas, seguido de rins e medula, conforme aponta dados fornecidos por Lurdes na Sessão.

A Lei federal que regula a remoção, transplante e tratamento de órgãos explica que a retirada dos mesmos de pessoas após morte encefálica só poderá ocorrer com permissão dos responsáveis legais.

Porém como forma de facilitar o contato da Central de Transplantes com a família de possíveis doadores, o Governo do Estado criou ao cidadão a Declaração de Doação de Órgãos. O documento permitirá que as pessoas registrem gratuitamente nos cartórios o seu interesse de ser um doador, servindo de instrumento à Central para facilitar a entrevista com os familiares. A estratégia está ainda sendo normatizada por parte dos cartórios civis e tabelionatos.

 

Fila que aguarda pelo transplante de órgãos no RS:

1.705 por córneas;

1.305 por rins;

162 por fígado;

101 por medula;

76 por pulmão;

12 por coração;

03  por pâncreas.