Pular para o conteúdo
28/09/2021 23:46:56 - Farroupilha / RS
Acessibilidade
Atualizado em 6 de agosto de 2019

Ação recolhe três mil kg de tampas/mês para compra de ração

Buscando entender melhor a tendência de coletar tampas plásticas para fins filantrópicos, a Câmara de Vereadores recebeu na sessão desta segunda-feira, a coordenadora do Projeto Engenharia Solidária realizado na UCS, engenheira química Rejane Rech.

Com o propósito de ajudar ongs e protetores dos animais, a Engenharia Solidária encontrou na reciclagem de tampas plásticas uma valiosa fonte de renda, por serem objetos mais limpos, de tamanho reduzido e chegando a valer um real por quilo. Atualmente o Projeto conta com 65 voluntários que se dividem na coleta, triagem e publicidade, via redes sociais. Segundo a professora, a transparência do trabalho realizado garantiu a credibilidade necessária para angariar mais doações e voluntários.

Com mais de 400 pontos de coleta, há uma média de três toneladas de tampas/mês, a Engenharia Solidária auxilia duas ongs e alguns protetores dos animais que atuam de forma individual, entregando à eles a ração adquirida com o trabalho de reciclagem.  O valor obtido pode variar de acordo com a entrega do produto. Tampas limpas, sem lacre metálicos, dividas por cores aumento o valor no mercado, exemplifica a coordenadora.

O convite para Rejane partiu do vereador Sedinei Catafesta, através do Requerimento 115/19 . O vereador possui em tramitação na casa uma sugestão ao Executivo para implantar através de Lei coletores de tampas e lacres plásticos em repartições públicas de Farroupilha. 

Texto e fotos: Gabriel Venzon | MTE 18.804