Pular para o conteúdo
04/12/2020 06:20:40 - Farroupilha / RS
Acessibilidade
Atualizado em 16 de maio de 2020

Vereadores cassam mandato do prefeito Claiton Gonçalves

Os vereadores pela primeira vez na história de Farroupilha votaram pelo impeachment de um prefeito Municipal. Claiton Gonçalves foi cassado por duas irregularidades expostas em documento protocolado por representantes da OAB.

Por dez votos a quatro, os vereadores entenderam que as denúncias referentes a contratação de servidor ocupante de cargo de fiscal, para assumir função privativa de advogado, e a aquisição de terrenos por parte do Executivo Municipal, sem a autorização do Legislativo, procedem.

A Sessão Extraordinária realizada nesta sexta-feira durou cerca de 9 horas. No ato, alguns vereadores posicionados pela cassação explicaram que houve resistência do chefe do Executivo em corrigir falhas apontadas em sua gestão. Já os parlamentares que se posicionaram a favor do prefeito Municipal, enfatizaram que não houve dolo em suas ações, e que os atos denunciados foram corrigidos.

Presente no julgamento, o prefeito Municipal enalteceu o seu trabalho realizado ao longo dos sete anos frente a administração pública. Citou a contribuição de cada vereador para o crescimento da cidade e seu desejo pela pujança do município. Porém os argumentos não foram suficientes para evitar dois terços dos votos pela cassação.

Após a deliberação por parte dos parlamentares, a Câmara de Vereadores expediu o Decreto Legislativo 127/2020 que decreta a cassação do prefeito Municipal, Claiton Gonçalves.

 

Confira a votação das denúncias que ocasionaram a cassação:

Denúncia A: nomeação de fiscal do Município para atuar em função privativa de advogado; e denúncia C: da aquisição de imóvel sem autorização legislativa:

10 votos favoráveis a cassação: Arielson Arsego, Eleonora Broilo, Fabiano Piccoli, Jonas Tomazini, Jorge Cenci, José Mario Bellaver, Josué Paese Filho, Sandro Trevisan, Sedinei Catafesta, Tadeu Salib dos Santos.

04 votos contrários a cassação: Deivid Argenta, Maria da Glória Menegotto, Thiago Brunet, Tiago Ilha.

1 abstenção: Fernando Silvestrin.