Pular para o conteúdo
04/12/2020 02:22:30 - Farroupilha / RS
Acessibilidade
Atualizado em 28 de outubro de 2019

Câmara analisa o futuro do saneamento básico da cidade

A gestão do saneamento básico de Farroupilha foi pauta dos vereadores durante a segunda-feira. Entre reunião e sessão ordinária, os parlamentares escutaram as explanações do Sindiágua e dos envolvidos no Manifesto de Interesse (PMI) em assumir as operações do serviço em caráter privado.

O Sindicato dos Trabalhadores da Purificação e Distribuição de Água (Sindiágua) esteve através de seu diretor, Rogério Ferraz apresentado aos vereadores as ações previstas para os próximos seis meses em Farroupilha, as quais visam suprir a falta de água no município com a instalação de um novo reservatório. Ferraz sugere a aproximação da Câmara junto ao atual presidente e diretores de operações e expansão da Corsan para que esclareçam aos vereadores o cronograma de obras previsto para Farroupilha.

Após a reunião, de encontro ao tema, os vereadores receberam os senhores Luiz Staut e Ítalo Joffily que apresentaram as potencialidades do serviço de saneamento em caráter privado. Segundo Staut, um estudo de viabilidade  da gestão prevê 95%  do esgoto em Farroupilha coletado e tratado em um prazo de dez anos, podendo o serviço ser realizado como concessão privada ou Parceria público-privada (PPP). Já Joffity calcula investir R$59 milhões nos próximos cinco anos, sendo estes, R$20 milhões na água e o restante no tratamento de esgoto.

Com base nos atrasos das obras em Farroupilha por parte da autarquia de saneamento, os Procedimentos de Manifesto de Interesse (PMI) serão apresentados em Audiência Pública por parte do Executivo Municipal.