Pular para o conteúdo
24/11/2020 05:37:11 - Farroupilha / RS
Acessibilidade

Ata 3723 – 06/02/2017

SESSÃO ORDINÁRIA

 

Presidência: Sr. Fabiano André Piccoli

 

Às 18:00 horas, o Senhor Presidente Vereador, Fabiano André Piccoli assume a direção dos trabalhos. Presentes os seguintes vereadores: Alberto Maioli, Aldir Toffanin, Arielson Arsego, Eleonora Broilo, Fabiano André Piccoli, Jonas Tomazini, José Mario Bellaver, Josué Paese, Odair Sobierai, Raul Herpich, Sandro Trevisan, Tadeu Salib dos Santos, Thiago Brunet, Tiago Ilha.

 

ORDEM DO DIA

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Boa noite a todos. Invocando o nome de DEUS declaro abertos os trabalhos da presente Sessão Ordinária. Em aprovação as atas de n.ºs 3.721 de 30.01.17 e 3.722 de 31.01.2017. Os Vereadores que estiverem de acordo permaneçam como estão. Aprovado pelos Senhores Vereadores, com ausência dos Vereadores da bancada do PMDB e PP. Solicito ao Vereador Sandro Trevisan, 1º Secretário, para que proceda a leitura do Expediente da Secretaria.

 

EXPEDIENTE

VER. SANDRO TREVISAN: Boa noite Senhor presidente, boa noite Senhores Vereadores, público presente, funcionários da Casa. À Câmara Municipal de Vereadores de Farroupilha, a Associação de Pais e Amigos dos Autistas de Farroupilha AMAFA, vem por meio desta reconhecer a gentil e importante cooperação mantida com esta instituição, a qual foi de grande valia na persecução de nossos objetivos sociais. A AMAFA é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, com a finalidade de atender pessoas portadoras de síndrome do aspecto autista, concedendo acompanhamentos psicológicos, através de atividades como a equoterapia e a natação. Assim todo auxílio é bem-vindo. Agradecemos a parceria realizada durante o ano de 2016, que contribuiu com êxito dos objetivos acima descritos. É por causa de atitudes como essas que muitas ações são abrilhantadas e tornam melhor o dia de pessoas que participam das atividades fornecidas pela AMAFA. Esperamos manter esta parceria no ano de 2017, pois será de muita importância aos autistas. A entidade estará sempre à disposição para eventuais questionamentos.

Resposta ao Pedido de Informação 01/2017 feita pela bancada do PMDB. Em resposta ao ofício o Gabinete 020 /17/01/2017 que trata do Pedido de Informação nº 01/2017 subscrito pela bancada do PMDB. Segue a documentação solicitada as câmeras que estão em funcionamento são 6, 2, 15. Mais informações na Secretaria, lá tem toda a relação de endereços das câmeras.

Realização de Audiência Pública Senhor Presidente, dirigimo-nos a Vossa Senhoria, para solicitar a realização de Audiência Pública no dia 22/02/2017 ás 10:00 horas, para apresentação do Relatório de Gestão da Secretaria Municipal da Saúde 3º quadrimestre/2016 financeiro conforme estabelece a Lei Federal nº 8689/93 de 27/07/1993, Decreto Federal 1651/95, Lei Complementar 101/00, Portaria Estadual 37/03, Resolução CIB  38/03 e portaria Estadual 882/2012.

Certos de podermos contar com a vossa colaboração, desde já agradecemos. Atenciosamente, Rosane Ines Bourscheidt da Rosa. Secretária Municipal de Saúde.
Era isso Senhor Presidente.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICCOLI: Obrigado Vereador Sandro Trevisan. Passamos ao espaço destinado ao Grande Expediente.

 

GRANDE EXPEDIENTE

 

PRES. FABIANO ANDRÉ PICCOLI: Eu convido o 1º Vice dessa Casa, Vereador Dr. Thiago Brunet, para assumir os trabalhos da Casa enquanto eu faço uso da Tribuna em nome da bancada do PT.

1º VICE-PRES. THIAGO BRUNET: Com a palavra, o Vereador Fabiano André Piccoli.

VER. FABIANO ANDRÉ PICCOLI: Obrigado Senhor Presidente. Senhores Vereadores, público e imprensa presente, funcionários da Casa, boa noite a todos. Trago hoje aqui três assuntos para compartilhar com os Senhores e o primeiro deles, nobres Vereadores, é a sugestão de Projeto de Lei nº 08/2017 a qual altera a denominação da FR005 para Avenida Raul Giacomoni, nós conversamos algumas semanas atrás sobre esse assunto e nós temos então essa FR005, ela antigamente vinha aqui do bairro São José, ia até o Desvio Machado, até o acesso a 470, com a ida da área territorial do Desvio Machado, para Carlos Barbosa, o Vereador Denir Gedoz de Carlos Barbosa, em 23 de novembro de 2016, encaminhou um Projeto que foi aprovado na Câmara de Vereadores de Carlos Barbosa, na qual denominava o trecho que pertence a Carlos Barbosa, da Avenida Raul Giacomoni, e desse trecho que vai da Jacob Versteg VRS 813no entroncamento para a entrada de Desvio Machado até a 470, nós temos aproximadamente 3.9 km, que pertence a Carlos Barbosa são 3.2 km, que com o Projeto do Vereador Denir que é da bancada do PMDB lá em Carlos Barbosa, com a Lei nº 3.343 passou a denominar-se então Avenida Raul Giacomoni. O trecho que permaneceu para o Município de Farroupilha é um trecho de aproximadamente 630 metros que pega da Jacob Versteg indo em direção a Carlos Barbosa. O Vereador Denir então, ele me sugeriu para que nós, Câmara de Vereadores de Farroupilha alterássemos também esses 630 metros e passássemos a denominar todo esse trecho que corresponde da Jacob Versteg até a 470 de Avenida Raul Giacomoni. Esse assunto então já passou pelas tramitações que o nosso Regimento Interno exige, todos os Senhores receberam então a Sugestão de Projeto de Lei, faltou só o “Sugestão” na frente e a Justificativa, também nós temos a certidão de óbito do Seu Raul que faleceu em 29 de dezembro de 2010 e temos também uma autorização da Senhora Lina Carmen Regla Giacomoni que é viúva do Seu Raul Giacomoni, que o primeiro nome dele era Albino, mas ele preferia ser chamado de Raul. E o histórico do Seu Raul, ele foi funcionário da Tramontina, ele era tio do então Presidente do grupo, Clóvis Tramontina, ele dedicou mais de seis décadas ao trabalho na Tramontina. O Seu Raul teve relevante participação no desenvolvimento da Comunidade de Desvio Machado, incentivando a instalação das fábricas da Tramontina no local. Foi Diretor Conselheiro da Tramontina cutelaria, que é fabricante de facas, talheres e panelas. Ele trabalhava com o mercado interno, mercado externo, foi vice-Prefeito de Carlos Barbosa de 1969 a 1973, foi membro do Conselho Deliberativo da primeira diretoria da APAE de Carlos Barbosa, foi Cidadão Emérito de Carlos Barbosa, torcedor do Esporte Clube Internacional, e faleceu então no dia 29 de dezembro de 2010. Então faz-se jus nós denominarmos essa rodovia com um único nome porque 630 metros FR005 e os outros 3km Avenida Raul Giacomoni. Então amanhã colocaremos em discussão esse Projeto, desde já eu peço a colaboração de todos os Senhores para que possamos votar nesse Projeto na noite de amanhã em Regime de Urgência para que possamos ter uma única denominação nesse trajeto. Outro assunto que eu trago essa noite ao usar a Tribuna, é lamentar então a morte da ex primeira dama, dona Marisa, mulher do ex Presidente Luis Inácio Lula da Silva, que por mais que tenham pessoas que o amem, ou que o odeiem, ela nunca deixará de ser ex primeira dama, assim como todas as primeiras damas que passaram pelo nosso município, nós devemos o respeito e eu queria fazer aqui um desabafo em relação ao ódio que se instala, se instalou, agora deu uma acalmada, quem não está mais no poder se dá uma acalmada, das informações que vazaram pela médica que trabalhava no Círio Libanês que vazou as informações do laudo médico da dona Marisa e depois, um médico no grupo de WhatsApp desses médicos, que era de um grupo que se formou em 2009 pela Universidade Federal de Mato Grosso, fez um comentário que é no mínimo sem um pingo de sensibilidade, ele escreveu no grupo, então quando essa médica vazou as informações clínicas da Dona Marisa, escreveu o seguinte é um neurocirurgião Richam Faissal El Hossain Ellakkis: “Esses “fdp” vão embolizar ainda por cima. Tem que romper no procedimento. Daí já abre pupila. E o capeta abraça ela. ” São palavras de um médico em relação à uma paciente que, bom, eu me arrepio em ter que ler algo assim de um profissional falando de um paciente. Nós temos dois médicos, ele é um médico na qual externa uma opinião sobre uma pessoa. Por mais que se odeie ou que se ame, esse tipo de comentário, acredito que nem em casa deveria ser feito. As pessoas têm o direito de ter suas opiniões, mas eu tenho a mais absoluta certeza que se algum dia eu precisar de um profissional que não gosta de mim, ou que não gosta do meu partido, pela postura médica, ele ou ela vai me atender, ou se não for ela, se ouvir alguma coisa, não vai fazer um comentário desse tipo em relação a uma pessoa que por menos foi a primeira dama do nosso país por 8 anos. Então eu queria deixar registrado aqui o meu repúdio para pessoas profissionais que tenham atitudes iguais a essa. Seguindo nessa linha, eu queria fazer um parâmetro entre dois fatos históricos semelhantes, com repercussões diferentes e aqui de forma alguma eu quero provocar a bancada do PMDB, quero provocar o Presidente Michel Temer, não quero fazer provocação nenhuma, eu só quero relatar como se postam situações iguais em períodos históricos diferentes, em relação a nomeação do Ministro Moreira Franco que então ele não estava com status de Ministro e agora ele está como Ministro. O Bom Dia Brasil então, sobre a nomeação do Ministro Moreira Franco: “Mal acabou a eleição na câmara e o governo tratou de anunciar mudanças nos Ministérios. Moreira Franco que é citado na Lava Jato ganhou status de Ministro. ” Com isso Moreira Franco ganha Foro privilegiado. Chamada para o Jornal Nacional quando a Dilma foi nomear o Lula de Ministro: “Olá Boa tarde, o JN vai trazer hoje todos os detalhes da nomeação do Ex-Presidente Lula para o Ministério da Casa Civil. Imagens ao vivo de Brasília, em frente ao Palácio do Planalto, agora a pouco houve panelaço contra o governo e a nomeação do ex-presidente Lula em pelo menos 11 capitais brasileiras. Imagens ao vivo de São Paulo e Belo Horizonte, do Rio de Janeiro”. No Bom Dia Brasil – “Moreira Franco do PMDB foi citado dezenas de vezes na delação de Claudio Melo que é um dos executivos da Odebrecht. No Governo Temer Moreira Franco que comandava o programa de parcerias e investimentos e agora assume a Secretaria Geral da Presidência com status de Ministro. ” Enfim, duas situações semelhantes, que eu condeno as duas, não é porque um é de um partido e outro não é do meu partido, eu condeno as duas. Mas somente trazer aqui as repercussões de uma e de outra, na sociedade brasileira, nos meios de comunicação, duas pessoas indicadas na Lava Jato, uma houve uma repercussão enorme e a outra nem tanto, então é só também em tom de desabafo porque ao longo dos últimos meses se vem sofrendo um monte por carregar uma bandeira, por ter pessoas que cometeram crimes e devem ser punidos, mas todos e todos que cometem crimes tem que ser punidos. Só que as repercussões são diferentes, quando é uma pessoa e quando é outra e isso eu lamento profundamente. Finalizo essas minhas participações na noite de hoje somente para deixar relatado e constatar as diferenças em que algumas pessoas da sociedade brasileira e alguns veículos de comunicação dão a situações parecidas só que com pessoas e com partidos diferentes. Era isso, muito obrigado pela atenção de todos, um boa noite, obrigado Senhor Presidente.

1º VICE-PRES. THIAGO BRUNET: Obrigado Vereador Fabiano Piccoli, devolvo a palavra ao Presidente.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICCOLI: Seguimos agora com o espaço destinado ao Grande Expediente. Convido o Partido Socialista Brasileiro – PSB, para que faça uso da Tribuna. Abre mão do espaço. Convido o Partido Democrático Trabalhista – PDT, para que faça uso da Tribuna. Com a palavra o Vereador Dr. Thiago Brunet.

VER. THIAGO BRUNET: Boa noite, boa noite colegas Vereadores, boa noite Dra. Eleonora, boa noite a todos que aqui estão nos prestigiando, muito obrigado pela presença. Eu venho aqui rápido para primeiro prestar também condolências à nossa primeira dama e repúdio ao colega ao qual também tive a infelicidade de ver nos meios sociais o que foi escrito, acho muito deselegante da parte do nosso colega, acredito que a Vereadora Dra. Eleonora também tem o mesmo parecer, embora possa não concordar com o Partido dos Trabalhadores, mas não é uma questão partidária, é uma questão médico-paciente e isso sempre deve ser repudiado pelos colegas, isso sim é uma questão que deve ser levado ao Conselho Regional de Medicina. Então fica aqui o meu desabafo também em uma parceria com o nosso Presidente, estamos também chocados com o fato ocorrido. Gostaria aqui de parabenizar se por acaso existe algum catarinense aqui. Eu tive 5 dias no estado de Santa Catarina, agora, fui quarta-feira e voltei ontem e porque que as coisas lá são diferentes né? Porque que as coisas funcionam? Porque que eu não consegui ver nenhum buraco na estrada lá? Andei 500 km nas rodovias lá e não enxerguei um buraco. Um buraco. É incrível aquilo, um estado assim, pedágio R$ 2,30, “porra” porque aqui é R$ 10,00 e lá é R$ 2,30? Sabe? São coisas que a gente tem que começar a se espelhar, infelizmente dizem que Santa Catarina é o estado que tem mais gaúcho do que aqui, mas então saíram os bons e foram para lá, só ficaram os ruins aqui, porque, “porra” olha, que estado exemplar, que cidades maravilhosas. Eu ia na praia e tu via 10 pessoas limpando o lixo, tu via as pessoas levando o lixo, tu via uma consciência, um estado tão próximo e com uma consciência tão diferente, sabe? As pessoas trabalhando, funcionários trabalhando, museus impecáveis, em perfeitas condições. Então fica aqui também, rapidamente só para falar, eu acho que a gente tem que se espelhar no nosso estado vizinho e talvez trazer algumas lições de como fazer política, como fazer boas políticas de lá para cá. Nem sei que partido que está lá agora no governo, sinceramente estou de sangue doce aqui, nem sei, mas se alguém souber até me diz, porque eu não sei que partido que é que está lá, nem sei quem é., mas estão de parabéns realmente é um estado muito acolhedor, praias maravilhosas, um povo maravilhoso e estradas, forma de gestão, museus, tanto privado quanto público tudo em perfeitas condições. Gostaria também aqui de fazer um breve relato sobre o nosso povo brasileiro que tem o orgulho de dizer aqui que temos a maior carga tributária do mundo, parabéns a todos nós porque somos nós que trazemos essa carga tributária, a maior carga tributária do mundo para pagar a maior corrupção do mundo, eita vida boa, nós somos burros demais, mas é isso o que está acontecendo. Acho que receberam aí no WhatsApp, 2.060 horas é o que o povo brasileiro trabalha para pagar a carga tributária anual, o dobro do segundo colocado, que se eu não me engano é a Bolívia. Então nós estamos aqui e hoje, como Vereador dessa Casa, eu faço um pedido a todos os Vereadores aqui, inclusive da situação, não podemos mais fazer com que as más condições, os repasses, as más gestões venham acabar no colo do povo brasileiro, não podemos mais aumentar imposto, não. Quer aumentar vai pedir para o órgão federal, para o órgão estadual, agora, o povo não pode mais arcar com maiores taxas de imposto do que vem sendo já durante ao longo dos anos imposto sobre o seu colo. Então basicamente é isso e quero fazer um breve relato aqui, nem tudo está perdido, eu quero dizer para vocês aí que a forma como a gente pode tirar o São Carlos da situação financeira e da questão de gestão que está sendo imposta hoje, está dentro dele. Temos uma ala no Hospital São Carlos que é a ala da saúde mental, esta ala é superavitária hoje no hospital. Tem uma taxa de ocupação de 92% e é único setor do Hospital São Carlos que não dá prejuízo e nem equalizado, ele dá lucro, queria fazer aqui uma homenagem às pessoas que trabalham nesse setor do Hospital São Carlos, a médica Karen Letti, que é a chefe da equipe, são 7 leitos SUS e 3 de convênio, sempre tem no mínimo 9 pacientes internados, uma taxa de ocupação, feitos os cálculos no ano de 2016 com 92% de taxa de ocupação, uma situação assim, única no Hospital São Carlos, então o exemplo para que a gente saia da crise está lá dentro, a gente tem que conversar com a Dra. Karen Letti, pedir informações de como ela faz isso, está lá, está na nossa frente e a gente até hoje talvez não tinha avaliado isso, a gente vê o hospital como um todo e coloca tudo em um lixo só, um baú só e não sabe diferenciar as coisas, é um erro até meu que estou lá também a 8 meses na gestão e agora eu comecei a fazer as coisas por setor, eu disse “vamos fazer setorizado, vamos dividir SUS, convenio, alas, vamos ver” e a gente descobriu, estão indo para Porto Alegre, foram para Porto Alegre a Dra. Karen e o Francisco Isaías sexta-feira passada para tentar agora uma verba no valor de R$ 100.000,00 para a saúde mental que é para fundar o CRAISME que é um Centro de Reabilitação Ambulatorial onde nós viraríamos referência na saúde mental aqui no município, onde as pessoas em surto psicótico da região inteira seriam atendidos no São Carlos e nós teria um leito, um quarto com 5 leitos para que esses pacientes em surtos psicóticos fossem atendidos e aí com isso o Hospital receberia um aporte do Estado no valor de até R$ 100.000,00 dependendo se obviamente conseguisse com que todas as exigências solicitadas na Portaria em questão fosse realizado. Então eu fico contente porque realmente a gente conseguiu enxergar dentro de um hospital cheio de problemas, um nicho mesmo que pequeno, com 10 leitos. Cedo um aparte ao Vereador Arielson Arsego.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Um aparte ao Vereador Arielson Arsego.

VER. ARIELSON ARSEGO: Senhor Presidente e Senhores Vereadores, demais presentes, obrigado pelo aparte Vereador, só uma dúvida que se tem, esses R$100.000,00 seriam mensais? E outra coisa, a gente sempre ouviu falar que referencia é atender os outros municípios, nós já estamos gastando no Hospital São Carlos valores para o atendimento de pessoas de fora do município e gastando mais, o discurso que se tem é “nós deveríamos cobrar dos municípios de fora para que a gente possa atender”. Então eu vejo que este valor, somente do estado, R$ 100.000,00, na minha visão, por isso que eu gostaria de ouvir da sua parte que está dentro do hospital, porque se nós vamos receber R$ 100.000,00 do São Carlos, vamos ter que atender as pessoas da região, e atendendo as pessoas da região nós vamos acabar gastando mais do que os R$ 100.000,00 mais alguma coisa que vem do Governo Federal e o Governo Municipal tem que colocar para atender os de Farroupilha, mas eu vejo que seria mais alguma coisa para dar prejuízo para o município, ou talvez não seja isso. Obrigado.

VER. THIAGO BRUNET: Olha, todas as pactuações elas podem dar ou prejuízo ou lucro, dependendo da forma como for feita, Vereadora Dra. Eleonora sabe que o que gerou muito prejuízo no hospital foi a pactuação da traumatologia, que foi uma pactuação que foi desde o início, na gestão anterior, mal planejada e que continua sendo mal planejada nesta gestão também. Quero deixar bem claro aqui, não quero colocar no colo de ninguém, eu acho que foi um precipitado antes e não foi enxergado e foi acionado, realizado, e a pactuação que foi feita, Vereador Arielson, só para o Senhor ter uma noção, o mais caro que tem na cirurgia de traumatologia não é a própria cirurgia e sim é o que? É o que vai ser usado, é a órtese e prótese, isso é caro. E na pactuação se esqueceram de colocar órtese e prótese, tu acreditas? Foi mal pactuado, as pessoas que pactuaram isso não se deram conta, o Estado fechou os olhos, porque para ele, independente de quem esteja lá também, tu vais fazer uma pactuação “Olha não me cobraram isso aqui, eu não vou pagar. Então em principio foi assim “não, nós vamos pagar a cirurgia de traumatologia de alta complexidade R$ 3.000,00” “ótimo, pode trazer para cá”. Trouxeram para cá, vão pagar R$ 3.000,00 só que não se deram conta que as órteses para fazer as cirurgias custavam R$ 10.000,00, então isso aí nós teríamos R$ 7.000,00 de prejuízo, só um exemplo. Então foi mal pactuado. Esta é a grande realidade, porque? Porque assim como tem o Hospital São Carlos que está passando por algumas crises financeiras, eu tenho dito o seguinte e quero dizer para todos aqui: a gente tem que parar com o “coitadismo”, eu quero enxergar diferente, chega de dizer que os outros hospitais estão mal, que os outros hospitais estão com crise financeira, eu quero começar a olhar para os que estão bons. Porque tem neste estado hospitais que estão em boa situação, que tem uma boa gestão, é a minoria? É, mas nós, pela força que tem esse município. Pela força da classe médica, pela força dos seus empresários, pela experiência do nosso Prefeito, nós temos condições sim de ter um hospital tão bom quanto os outros que também estão adequados e muito bem. Então Vereador, eu acho que tem que ser, essa tua pergunta foi a primeira pergunta que a Dra. Karen Letti nos fez, estava eu, o Francisco Isaías e ela, e ela disse “ta, e esses R$ 100.000,00 vindo como é que fica esses R$100.000,00? ” Aí o Isaías brincou com ela “não, nós já temos a psiquiatra, não vamos ter mais custo com psiquiatra” aí ela disse “vão ter mais, porque eu vou querer ganhar mais também, vou atender mais, vou trabalhar mais, quero ganhar mais” isso é normal. Então assim, tem que verificar o quanto isso vai dar de custo. Porque R$ 100.000,00 é um bom valor, para vocês terem uma noção R$ 100.000,00 hoje é quase dobrar o que o estado nos repassa, porque nós temos e temos que reconhecer isso, e eu quero reconhecer isso aqui, nós temos contratualizado com o estado apenas SAMU, Saúde Mental sem o CRAISME e o ambulatório de traumatologia. Estamos atrás daqueles R$ 700.000,00? Estamos, mas isso não foi contratualizado, é verdade, isso foi feito uma Portaria, na qual estabelecia que pudesse haver uma contratualização que infelizmente nunca existiu. Mas que existe essa Portaria, existe, de R$ 700.000,00 que era para diminuir o prejuízo da questão da traumatologia, é isso que nós temos. Mas é verdade, contratualizado com o Estado nós temos hoje um valor de R$ 100.000,00, que é muito pouco, e que parece que agora o Estado inclusive quitou e está quites com o Hospital São Carlos daquilo que está contratualizado, isso a gente tem que reconhecer aqui e eu estou reconhecendo. Então, mas claro, existe a Portaria, foi levada pata a CIR que é a Comissões Inter gestores Regionais, foi aprovada na CIR só que infelizmente não foi na época pactuado, nem no Governo do Tarso e nem depois no Governo Sartori, então se não está contratualizado, está na justiça, está, é de direito? Isso é uma questão jurídica, eu acredito que se tivéssemos uma sensibilidade, poderíamos ver que a questão da traumatologia por atender todos os municípios deveria vir esse dinheiro, esse recurso, mas a verdade é que não teve um contrato feito. Então deixo aqui a minha fala, agradeço a Senhor Presidente a oportunidade e um boa noite a todos.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICCOLI: Obrigado Vereador Dr. Thiago Brunet, com a palavra o Partido Republicano Brasileiro – PRB, para que faça uso da Tribuna. Com a palavra o Vereador Tiago Ilha.

VER. TIAGO ILHA: Senhor Presidente, Senhores Vereadores, nobre Vereadora, todas as pessoas que nos acompanham aqui na nossa Casa do povo, a presença de vocês traz prestigio à essa Casa e eu gostaria de agradecer algumas pessoas, em especial meus companheiros do PRB que sempre fazem presença, nosso Presidente Tiago Saquetti da Juventude do Partido, o Senhor Vitor Ortiz, recentemente chegado no nosso partido, o Jones, o Jorge Serpa, todos os amigos que nos prestigiam. Ainda saudar o nosso amigo Edson Barbosa que é um grande lutador agora no setor lá da causa animal e tenho certeza que vai auxiliar essa Casa nos trabalhos da Frente em Defesa Animal, aos funcionários da Casa, demais pessoas e é lógico, um carinhoso abraço a imprensa que leva dessa Casa até a casa de cada pessoa a informação do que se trata, do que se debate aqui. Hoje, Senhor Presidente, eu venho até essa Casa para falar um pouco sobre as agendas da Frente Parlamentar de apoio ao nosso Hospital Beneficente São Carlos. Estivemos eu e o nosso Vice             Presidente, Vereador Tadeu, no hospital na quarta-feira, onde fomos recebidos pelo Conselho de Administração dessa Casa de saúde, que muito bem nos recebeu, junto também com o nosso Presidente da Câmara de Vereadores, Vereador Fabiano Piccoli, e através da sua Presidente do Conselho a Dona Bete Grendene, explanou de uma forma muito clara para nós, muito que vem acontecendo. Convoco aos demais Vereadores integrantes da Frente Parlamentar, que amanhã, como a gente já pediu que a assessoria informasse as 17horas teremos um encontro aqui na sala de reuniões para trazer mais informações aprofundadas para que a gente fale sobre o que a gente conseguiu nessas duas agendas, mas eu trago aqui um pequeno relato, para que os demais Vereadores e também a comunidade que prestigia, que nos acompanha pela internet, que quer saber mais sobre essa situação, algumas coisas, que foram levadas nesse encontro, e já deixo de mão aqui se em algum momento Vereador Tadeu quiser usar um aparte para colaborar ao nosso relato. Mas, o tempo é curto e nós vamos trazer alguns dados de forma mais simplificada. Como nós falamos, a primeira coisa que eu quero dizer aqui antes de trazer algumas informações, é que o Conselho, até de forma de desabafo, falou a este Vereador e ao Vereador Tadeu, que trouxéssemos a todos os Vereadores que nós temos que parar de fazer do Hospital terra arrasada, eu acho que essa foi a grande mensagem que recebemos lá, porque aquela pessoas que estão lá, tchê, quando eu olhava a Bete Grendene que poderia estar em qualquer lugar do mundo, cuidando do seu negócio, estava lá, com o compromisso com os demais conselheiros tentando fazer diferente para o nosso hospital e aqui poderia citar todos eles que fazem parte desse Conselho de Administração, então eu senti isso olhando nos olhos dele, né Vereador Tadeu? Das suas queixas sobre a questão de muitos usarem até meios de comunicação para colocar tudo terra arrasada. “O Hospital não presta” se nós continuarmos com esse discurso o nosso hospital só vai andar daí a pior, que ele está em um momento difícil Vereador Dr. Thiago, isso não é segredo para ninguém, mas eu fiz até um teste Vereador Tadeu, como sugeriu o pessoal do Conselho, eu estive no dia seguinte sem ser anunciado, até o hospital e verifiquei o que eles tinham colocado para nós, que o hospital atende bem, tende a atender da melhor forma possível, que os profissionais que lá estão são comprometidos, que o nosso hospital é terra arrasada, nada vai funcionar. Porque pior que a crise financeira é a crise de credibilidade que o hospital está por muitas pessoas que gostam só de falar quanto pior melhor, eu acho que nada constrói, eu acho que até o interesse talvez que possa ter partidário, não vai construir quando fala só “quanto pior melhor”, eu acho que as pessoas já são inteligentes suficientemente para entender que quanto pior melhor nada evolui, nada contribui. Então eu quero aqui dizer que a partir de hoje convido todos os Vereadores que nós possamos fazer dessa Frente embaixadores do bem, que nós quando tivermos oportunidade vamos falar bem do nosso hospital, vamos trazer a comunidade para próximo dessa contribuição, vamos ser embaixadores do bem, falar coisas boas, porque muito esse hospital salvou a vida de muitas pessoas, e o Vereador Tadeu nos emocionou quando contou um relato seu, uma história que teve com o hospital, aonde foi decisivo naquele momento, talvez não estaria aqui dentro conosco hoje, e eu tenho certeza que muitas pessoas dessa cidade tem histórias para contar desse hospital, que lá nasceram seus filhos, lá foram salvos. Então está em um momento que a gente tem que falar bem do nosso hospital, essa é a primeira coisa que eu quero dizer, chega de ficar jogando terra arrasada. Que a crise financeira é complicada, isso todos nós já sabíamos, esse relatório que ele está extremamente aprofundado e que na terça-feira cada Vereador integrante vai ter uma cópia, e a gente já pede à assessoria para providenciar, nós vamos contar de forma mais aprofundada, mas eu separei alguns dados aqui que eu acho importante destacar. Entre eles aqui fala um pouco da estrutura do hospital, mas tem coisas que vale a pena ser destacado como a evolução da receita do hospital e aqui tem um relatório desde o ano de 2007, aonde destaca a receita com o município, com o Estado, com a União, com os convênios e os particulares. Então essa planilha é extremamente importante para a gente dar uma olhada desde 2007. Eu vou dar um exemplo aqui do Executivo que repassava ao hospital R$ 5.000.000,00 no ano de 2007 e no ano de 2016 aqui o hospital informa em torno de R$ 9.500.000,00, mas esse levantamento foi feito antes de finalizar o ano, que aí totalizou o valor que havia sido aprovado no orçamento do município. Só que aqui tem um dado interessante, Senhores Vereadores, dessas receitas do hospital, que quer dizer o que, tudo que o hospital arrecada de recurso, 57% fica bloqueado na origem. Tudo o que o hospital ganha e tudo o que ele fatura, 57% não entra, fica bloqueado. Bloqueado como Vereador? Fica bloqueado e aqui está bem detalhado. Convênio Unimed: fica bloqueado próximo de R$ 300.000,00, pagamento de parcela de empréstimo junto à UNICRED, convênio do Círculo Operário Caxiense, entra R$ 74.000,00 e não vem nada, zeram, fica retido todo o valor. É para pagamento do SINDISAÚDE, da justiça do trabalho. Ainda tem resumo de receitas da alta complexidade que fica uma parte retira para pagamento de parcela de outro empréstimo chamado FUNAFIR, é outra modalidade de empréstimo adquirida para o hospital. Então a conversa já fica extremamente difícil e aí a gente não precisa ser nenhum grande gestor e um grande administrador, se tudo o que você ganha, 57% já fica retido, você já não enxerga esse valor, se o hospital já tem um déficit operacional que foi destacado aqui nessa Casa, que uma cirurgia que o SUS passa o município cumprimenta e assim ainda dá prejuízo, então lá eles destacaram vários exemplos de prejuízo na origem da receita, aí imagina se já tem prejuízo na cirurgia e nos outros procedimentos, imagina 57% disso fica retido. Então, lá, imagino eu, que os próximos passos vão enxergar talvez, conseguindo liquidar esses empréstimos que geram juros, por mais que sejam menores e que tenham algumas modalidades especiais, geram juros, talvez conseguindo sanar esses empréstimos, já teriam recurso livre importante e que segundo até uma conversa extraoficial que a gente teve lá, poderiam chegar próximo do 0x0. Então que já seria uma grande notícia em forma de gestão. O que o hospital pretende fazer e o que eles nos trouxeram como informação? Então eles nos anunciaram uma contratação de uma consultoria empresarial focada em gestão hospitalar que essa consultoria, ela vai trazer um levantamento da situação administrativa e como são especialistas na área de gestão hospitalar, vão apresentar ao Conselho alguns andamentos no ponto de vista de administração. Então, essa consultoria terá essa visão. Em linhas gerais esses foram alguns apontamentos, claro que isso aqui vai ficar de forma depois, que a Frente analisar nós vamos achar uma forma também de deixar todos esses documentos obviamente públicos, porque aqui não temos nada para esconder de ninguém, talvez apresentar aqui. Mas, eu falo ainda sobre essa questão, aí na sexta-feira também o Vereador Tadeu nos acompanhou, tivemos conversando com o Prefeito Municipal no Gabinete do Prefeito onde ele fez um relato sobre o histórico de pagamento ao hospital, fez um levantamento histórico sobre até um pouco sobre a questão da época da intervenção do município e nós fizemos alguns questionamentos, entre eles sobre a pactuação com os municípios, porque lá o hospital nos disse que a pactuação é responsabilidade do município, e nós fizemos esse questionamento lá, porque que os 12 municípios que trazem os seus pacientes aqui não contribuem? E aí nós fomos também fazer esse levantamento junto ao Executivo que nos falou que essa foi obviamente uma pactuação estadual e que naquele momento, desde o momento em que foi pactuado, ele nunca conseguiu pagar o serviço contratado, ou quer dizer que eu contratei um serviço sabendo que eu ia ter prejuízo e mesmo assim contratei, porque eu achei que ia ser as soluções dos problemas do hospital. Então eu sabia que ia dar prejuízo, que pagava menos do que custava a cirurgia de alta complexidade, mas eu contratei, porque eu achei que naquele momento era importante. Também o Executivo nos confirmou que vai estar até enviando para essa Casa um adicional ao hospital, um recurso adicional do que está previsto que é R$ 1.033.000,00/mês para que possa o Conselho Administrativo pagar essa consultoria, para que o hospital não precise desembolsar da forma difícil que já se encontra, então o Executivo passaria esse recurso, viria um projeto aqui para a Câmara para pagar essa consultoria, que também o Prefeito nos adiantou. E ainda o Vereador Tadeu questionou o Prefeito sobre o andamento da UPA, que a gente também entende e até uma fala lá do hospital que abrindo a UPA desafoga o hospital e também com isso desafoga um pouco da questão dos custos e dos recursos, então o Prefeito também falou do andamento da UPA, das coisas que estão sendo realizadas para que tão logo possa a UPA estar em funcionamento, mas uma coisa ficou lá na minha cabeça ainda na conversa Vereador Tadeu, lá no hospital, aonde a Presidente do Conselho, a Dona Bete, ela trouxe uma coisa que eu disse “olha, é uma visão muito lá na frente que a gente não parou para pensar nisso” ela disse “o hospital precisa gerar receita, precisa fazer trabalhar”, agora, não adianta ter todo o dinheiro do mundo, se os médicos continuarem internando seus pacientes em Caxias do Sul, em Bento Gonçalves, Flores da Cunha, outras cidades, não vai adiantar nenhum esforço, quando falo nenhum é nenhum. Enquanto nós não aproximarmos da classe médica e aqui nós temos dois médicos, aqui na Câmara de Vereadores, dois extremamente capacitados, Dr. Thiago e Dra. Eleonora, quem sabe os dois vão auxiliar essa Frente também a conversar com grupo médico, para ouvir também deles, não queremos aqui fazer juízo de ninguém, queremos a Frente Parlamentar também ouvir os médicos, assim com a Frente Parlamentar, nós estamos a duas semanas e meia tentando uma agenda com a CICS, com o grupo de empresários e infelizmente ainda não conseguimos. Mas imagino que na próxima semana o Presidente da CICS nos disse que vai achar uma possibilidade de nos receber. Então vamos aguardar, vamos dar sem dúvida nenhuma um voto de confiança também à CICS e a esse movimento de empresários. E ainda para finalizar, até uma provocação do Vereador Tadeu também lá na reunião, de nós Vereadores fazermos um grande mutirão, uma grande conversa, não sei que forma, com audiência pública, com visita, nesses 11 municípios da região, chamar os Vereadores para o debate, para a conversa e fazer uma pressão política também através das Câmaras de Vereadores dos outros municípios para que a gente possa unir força política junto com as Secretarias Municipais desses Municípios para que a gente ache também uma forma desses municípios contribuírem na fonte, contribuir aqui no hospital, eu tenho certeza que passando pelas suas Câmaras de Vereadores e aprovando nas suas cidades teriam uma fonte de receita nova e que hoje não está acontecendo. Tudo isso e muito mais, é um pequeno relato que eu aproveito esse momento para trazer aqui na nossa Sessão, no momento destinado ao Partido Republicano Brasileiro, agradeço essa oportunidade e depois no nosso Pequeno Expediente, a gente complementa. Era isso Senhor Presidente, meu muito obrigado.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICCOLI: Obrigado Vereador Tiago Ilha. Convido o Partido, REDE Sustentabilidade para que faça o uso da Tribuna. Abre mão do espaço. Convido o Partido progressista – PP, para que faça uso da Tribuna. Com a palavra o Vereador Tadeu Salib dos Santos.

VER. TADEU SALIB, DOS SANTOS: Senhor Presidente, Senhores Vereadores, Vereadora Dra. Eleonora, minha saudação especial a todos os funcionários e colaboradores desta Casa, quero saudar também a todos os cidadãos que estão aqui conosco, a nossa imprensa, as Senhoras, os Senhores, membros de partidos políticos, enfim, este público que nos surpreende, mesmo que alguns profissionalmente, mas aqui estão praticamente nas segundas-feiras marcando presença e também daqui transmitindo algumas informações. Eu quero iniciar justificando o Excelentíssimo Vereador Tiago Ilha, Presidente da Frente Parlamentar que não lhe pedi nenhum aparte porque eu sabia que o tempo seria também escasso para o Senhor devido a tudo aquilo que ouvimos tanto, no hospital do Senhor Prefeito Municipal e somado a outras informações, algumas verdadeiras e com conteúdo e algumas que a gente sabe que é ilusória e que realmente não estão contribuindo muito para a solução daquilo que é o nosso propósito. Mas eu gostaria também, se o Senhor achar oportuno algum aparte, por favor, assim como os demais Vereadores que estamos abertos a isso, porque a democracia nos traz isso, que bom que nos traz isso, mas também a hierarquia nos traz o respeito de que manda quem pode e obedece quem precisa, o tempo era vosso, os 15 minutos e foram poucos ainda de tudo aquilo que a gente ouviu nos relatos. Eu queria falar ao nosso Presidente agora, Vereador Fabiano Piccoli, e eu gostaria de resumir falando muito pouco, mas eu queria lhe dizer que em alguns momentos o valor da criação de DEUS é muito maior do que qualquer posição política que alguém ocupe ou ocupou. A ex primeira Dama do nosso país, isso dito pela imprensa e imagino eu que a Voz do Brasil seja uma fonte de informação séria e que passa pelo menos informações e eu ouvindo a Voz do Brasil eu ouvi o relato de uma pessoa dizendo que a Dona Marisa no exercício de primeira dama, não recebeu do nosso país em momento nenhum, nenhuma remuneração, não foi paga por nada e não foi contratada por nada. Então se algumas coisas lhe magoaram, eu queria lhe trazer esse relato, que não foi só a parte ruim, em algumas coisas ao preço que o Senhor mesmo citou aqui antes, em que se prejulgou antes e se dá o direito de quem é acusado o direito de defesa e tudo está acontecendo afora as fatalidades que neste percurso aconteceram. E para finalizar essa parte Vereador, eu gostaria que o Senhor soubesse a opinião deste humilde Vereador, quem não respeita a vida, ou melhor quem não respeita a morte nunca teve respeito pela vida, então aí está resumido. Porque a criação maior é a criação de DEUS que é o ser humano, os erros e acertos cabem a ele, mas se a gente respeitar esse momento de que não pode se defender, é porque nós já fizemos isso em vida com muita gente que não podia se defender, não vem este a contribuir para que isso continue. Eu trago aqui, também no final do meu pronunciamento, um requerimento que eu quero falar um pouco sobre este requerimento, que é o requerimento de nº 022/2017 ande já foi repassado informações aos nobres Vereadores que: “após ouvirem a Casa, requerem a Vossa Excelência que seja enviado convite ao Presidente do Projeto Mão Amiga Farroupilha, o Sr. Fabiano Feltrin, que preside, para que se possível venha a esta Casa Legislativa explanar a respeito das atividades que estão sendo realizadas pelo grupo e de seus objetivos.” Então após a minha fala eu pediria ao Senhor que se possível já pudesse colocar em votação este requerimento, posterior claro. Quanto à Frente Parlamentar, eu gostaria de dizer aos nobres Vereadores que estamos tendo algumas respostas pelo menos de uma forma mais eficiente e isso já está nos trazendo alguma esperança, e eu imagino que amanhã, não que esta explanação seja ela não pública e alguma coisa já foi explanada aqui pelo Vereador Presidente Tiago Ilha, mas há os pormenores e algumas coisas que eu acredito que qualquer um dos Senhores que não fazem parte da Frente Parlamentar, ficarão otimistas também com a repercussão que está trazendo a Frente Parlamentar. Hoje já recebemos pelo menos, informações por escrito, as quais alguns relatos já foram feitos aqui pelo nosso Presidente da Frente Parlamentar, o que deveria ser também de toda situação, as origens, da onde vem essas dívidas, as origens deste dinheiro que veio e que quem sabe com a consultoria nós tenhamos aí alguma resposta mais eficiente. A consultoria deverá vir para saber, primeiro, quanto foi arrecadado em prol do hospital e para onde que foi? A consultoria irá apresentar isso e em apresentando isso, ela deverá apresentar também, no mínimo para nós, por escrito, assim como fez com documentos que chegaram até nós hoje, que eu ainda não li todos os documentos que chegaram, pois recebi um pouco antes da Sessão, mas eu quero dizer ao Senhores que assim como uma semana depois da reunião que tivemos, ou nem bem fechando uma semana, já obtivemos algo por escrito, com números, que isso é documento, está documentado, não é verbal e isso poderá nos trazer aí, quem sabe depois da consultoria, um norte, e eu quero dizer aos Senhores de que ouvimos que por muito pouco dinheiro, muito pouco valor, isso deverá ser explanado e ampliado a partir de amanhã, até para que os Senhores também tenham aceso à essas informações que estão relatadas em ata, documentadas, tudo aquilo que foi relato para nós, para que aí nós tenhamos também, a Câmara de Vereadores, um papel extremamente importante. Por sugestão nossa, falando em Câmara de Vereadores, nós tivemos acima de 30 municípios se valendo do Hospital São Carlos e quem sabe até em algum momento aí contribuindo para a dívida do nosso hospital. Lá atrás quando nós tínhamos, hoje nós devemos ter acima de 10, deve estar passando 1 mais ou menos, a Vereadora           Dra. Eleonora se achar oportuno me corrigir, mas esses, deve ser 11 hospitais, ainda dependem do hospital, ainda estão enviando, com custo bancado para o São Carlos, os seus pacientes e os seus munícipes, por sugestão nossa e que nos contatem com essas Câmaras de Vereadores para que eles também façam um trabalho de conscientização com os seus executivos desses municípios vizinhos, para que se nós nos recorremos da CICS, dos nossos empresários que sofrem e aqui foi citado, a carga maior tributária que nós temos, quem é que paga essa conta? São aqueles abnegados empresários, a nossa sociedade industrial também, que nada mais Vereador Thiago Brunet, que eles que vivem esta situação, saberem que o Executivo que pega uma fatia disso, tem a responsabilidade através dos Poderes Legislativos destas cidades, de no mínimo serem alertados que se o prejuízo, a conta é nossa, eles têm que compartilhar da preocupação, e em seguida da solução. Então já estamos colhendo frutos da Frente, de trabalho, mas de sugestões humildes que virão a esta Casa, independente de quem sugere e de quem traga o resultado das sugestões, mas sim que seja uma semente também a ser plantada, ou semeada e que ela se fortaleça, que ela possa germinar e crescer com as Câmaras vizinhas que nós iremos com certeza absoluta colher algum resultado. Eu queria também dizer que são da vida e de algumas coisas que nos marcam negativamente para encerrar a minha fala aqui, que nos dão exemplos para que nós possamos crescer como ser humano. Quando nós temos que usar deste Expediente aqui, de assuntos tão importantes da nossa saúde e de outros e não poderíamos trazer aqui, não trago aqui alguns assuntos, que a gente ouve, via reportagens de rádio, mas que é bom a gente ficar alerta que às vezes a nossa Casa aqui é imprescindível e ouçam por favor isso, vezes a nossa Casa é imprescindível  também de buscar nessas informações lago que nós possamos levar adiante na hora certa, para que nós tenhamos a solução de problemas gravíssimos da nossa comunidade. Eu gostaria, com todo respeito à imprensa, aquela que eu faço parte, ou fiz parte em boa parte da minha estada aqui no município, mas que esta Casa aqui foi citado pelo Vereador Tiago Ilha, se não me falha a memória, Casa do povo, ou pelo nosso Presidente, a Casa do povo e como povo, não existe problema maior ou menor, existe sim a grandeza de quem pode trazer isso aqui e colocar em discussão e trazer a solução e construir o melhor para a comunidade. Este é o nosso propósito do Partido Progressista, exemplos negativos, às vezes vem com respostas tranquilas. Eu quero dizer a vocês, que o meu respeito maior pela passagem de alguém o que me rege pela minha vida e com todo respeito ao Senhores, eu quero dizer, muito obrigado por me ouvirem, e se algo puder somar aos Senhores e que nós possamos construir alguma coisa junto, não existe partido maior aqui, nem a posição e nem a oposição, existe sim uma comunidade carente e que está esperando uma resposta nossa. Boa sorte a todos, uma excelente noite e peço ao Senhor Presidente, não sei se sigo a ordem, assim que possível a votação deste requerimento.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICCOLI: Obrigado Vereador Tadeu Salib dos Santos. Colocaremos em votação no início do Pequeno Expediente. Convido o Partido do Movimento Democrático Brasileiro – PMDB, para que faça uso da Tribuna. Com a palavra a Vereadora Dra. Eleonora Broilo.
VER. ELEONORA BROILO: Boa noite Presidente Fabiano Piccoli, boa noite aos Vereadores colegas de bancada, boa noite aos Senhores Vereadores das outras bancadas. Não posso me esquecer de cumprimentar todas as pessoas que estão aqui nos dando a honra de acompanhar essa Sessão.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICCOLI: Está aberto o microfone do Vereador Arielson, por gentileza.

VER. ELEONORA BROILO: Bem, eu só quero fazer uma brincadeira com o Vereador Dr. Thiago, se não me falha memória, eu acho que o PT nunca Governou Santa Catarina. Bom, quanto ao falecimento da nossa ex Primeira Dama, a Dona Marisa Letícia, eu gostaria de fazer uma consideração, como todos eu considero indefensável a atitude do médico que colocou qualquer coisa que fosse do prontuário dela em qualquer rede social, mas eu quero lembrar que o prontuário médico é sigiloso para qualquer paciente, não é só para a Dona Marisa Letícia, ou para fulano ou quem quer que seja. Todos nós que aqui estamos também temos direito ao sigilo médico, então mais uma vez atitude indefensável, não porque ela foi Primeira Dama, ou porque isso, porque aquilo, ou porque ela é do PT, ou porque não é do PT, não. É porque ela era uma pessoa, uma cidadã, uma brasileira e como tal, ela tinha direito ao sigilo médico. Bem, mais uma pequena consideração, Vereador Tiago Ilha, não sei se o Senhor sabe, mas no final de 2013, o Hospital São Carlos foi agraciado com um empréstimo federal da Caixa Econômica que comprometia apenas uma pequena parte do ganho do SUS, da parcela federal. Este empréstimo era de 999 mil e alguma coisa, quase R$1.000.000,00. Para a gente ter noção o que isso representava na época, a dívida do hospital girava em torno de R$ 10.000.000,00 então esse empréstimo era em torno de 10% do valor da dívida, e na época pagava a dívida médica. Bem, só que para receber esse valor, eu não sei se o Senhor tem conhecimento desse fato, mas para receber esse valor, o Hospital precisava que o Prefeito, nosso gestor municipal, ou o seu representante na Secretaria da Saúde, assinasse o empréstimo, o que não foi feito. Nós que trabalhávamos nessa época, eu era Diretor Técnica nessa época, fui ao Gabinete implorar que assinassem o que não foi feito, e esse dinheiro voltou a sua origem, sem que tivesse sido ocupado pelo nosso hospital, dívida então de R$ 10.000.000,00. Quanto às cidades vizinhas e as negociações, eu também acho que talvez os Senhores também não saibam disso, mas o antigo administrador, professor Henrique Almeida, na época esta Vereadora, como Diretora Técnica, nós estávamos negociando com as 34 cidades do Vale dos Vinhedos e Basalto, na tentativa de aumentar as cirurgias de média complexidade, porque as de alta complexidade, infelizmente já era um valor fechado e não tinha como aumentar, mas as de média complexidade sim, e nós estávamos então tentando acordar um valor a mais e após a nossa saída não foi possível concretizar então esses avanços. Bem, mais uma coisa, R$ 700.000,00 vem muito bem para o hospital, mas se nós tivéssemos portas de entrada, seriam R$ 200.000,00 por mês e foi perdido porque não foi entregue a tempo a documentação que eu deixei assinado e pronto para que fosse então conseguido esse recurso. Quase 90% dos hospitais recebem esse recurso, o São Carlos é um dos poucos que recebe, mas muito pouco. Bem, então tirando tudo isso, eu quero dizer que nesse primeiro mês dos próximos quatro anos eu considerei muito positivo o saldo de trabalhos de toda a nossa bancada. No dia 3 de outubro quando eu me deparei com essa responsabilidade, que seria de representar não só aqueles que votaram em mim, mas toda uma comunidade, eu confesso que fiquei muito apreensiva, porque além da imensa vontade que eu tinha de poder fazer alguma coisa pela minha cidade, o meu conhecimento político não ia muito além do período em que fui diretora técnica do hospital, mas o entrosamento da minha bancada, dos Vereadores da minha bancada, e também da bancada do PP, tem sido de grande ajuda. Nós temos formado na realidade, uma grande família de amigos. Com aprofundamento o conhecimento técnico tanto organizacional administrativo. Os Vereadores veteranos José Mario e o Arielson eles tem tido a paciência de irmão mais velho para o irmão mais novo e esclareces as nossas dúvidas diariamente. Nós temos também podido contar com o Presidente Municipal do nosso partido Ademir Baretta, e com o nosso Deputado Álvaro Boessio, que tem sempre deixado abertas portas do seu Gabinete. E por uma questão de justiça eu não posso deixar de enaltecer o trabalho dos nossos assessores a Tânia e o Gabriel, que estão sempre prontos, para nos atender, eficazes e pacientes com esses novos Vereadores de primeira viagem. Obrigada assessores. Mas eu gostaria de falar um pouco no trabalho da Frente Parlamentar pela Saúde Animal, terça-feira passada dia 31 de janeiro a Frente se reuniu para traçar diretrizes para o nosso trabalho e na quarta-feira de manhã eu como Presidente desta Frente, o Vereador Josué Paese Filho segundo vice-Presidente, Secretários Aldir Toffanin e  Sandro Trevisan fomos fazer uma visita no Posto Cinquentenário, que é o local de funcionamento da Defesa Animal Municipal, onde nós pudemos conversar com o responsável pelo funcionamento senhor Barbosa, o atendente João e a Veterinária doutora Barbara que nos esclareceram inúmeras dúvidas. Nos mostraram o lugar, inclusive sala cirúrgica e o consultório, com verba muito restrita o centro funciona com algumas deficiências. Segundo os responsáveis e 83 atendimentos foram realizados e 20 castrações no último mês. O público-alvo são animais de população de baixa renda, até três salários mínimos, ou animais adotados, neste caso a renda não importa, quando os animais são adotados. Entre as deficiências do posto à Frente pode constatar algumas que são mais prementes, uma estufa na sala de recuperação dos animais que sofreram algum tipo de procedimento, um aparelho de raio X, um eletro cautério, um aparelho de ar-condicionado para sala de cirurgia. O trabalho que posto realiza tira do colo das ONGs e dos lares de passagem a preocupação de conseguir esses atendimentos, além de proporcionar a esses seres inocentes e seus responsáveis um tratamento digno. Mas quanto a estufa para sala de recuperação, essa Vereadora, na figura de Presidente da Frente vai doar um climatizador portátil, que pode ser buscado a partir de 17 de fevereiro no seu consultório. O eletro cautério que além de prevenir várias complicações cirúrgicas também promove economia de material cirúrgico, tem um custo razoavelmente baixo e a relação custo benefício é extremamente importante. Enfim, o trabalho da Frente está à todo vapor denúncias nos chegam todos os dias, muitas vezes tendo como porta-voz a própria Arlene Lazzari, muitas serão as considerações, as ações, o trabalho  da Frente e eu posso garantir Senhores, e não só por mim, mas por todos que fazem parte dessa Frente, que será realizado um trabalho muito sério no sentido de tomar conhecimento de todas as situações que envolvem a Saúde Animal, quer na prevenção, através de Leis, quer no cuidado com as zoonoses que podem acometer a nossa comunidade. Esse trabalho não é uma responsabilidade apenas minhas, mas sim, de toda essa equipe que me acompanha e que tem mostrado realmente uma integração com a causa. Muito obrigado a todos.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Obrigado Vereadora Dra. Eleonora Broilo. Passamos agora então ao espaço destinado do Pequeno Expediente.

 

PEQUENO EXPEDIENTE

 

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: E já colocamos em votação o requerimento nº 22/2017 de autoria dos Vereadores Tadeu Salib dos Santos e Josué Paese Filho, na qual convidam o Presidente do Projeto Mão Amiga Farroupilha, o Senhor Fabiano Feltrin, para que venha a essa Casa, explanar a respeito das atividades que estão sendo realizadas pelo grupo e seus objetivos. Os Vereadores que estão de acordo, permaneçam como estão. Aprovado por todos os Senhores Vereadores. A palavra está à disposição dos Senhores Vereadores. Colocamos em votação o requerimento da Vereadora Eleonora Broilo de nº 26/2017, que solicita ao Executivo Municipal, em seu setor competente, para que se verifique o prestador de serviços Pró Saúde, especificamente a Farmácia Popular, está de acordo com a Lei Municipal nº 21 de 29/06/1994. Dos Artigos 1º e 2º, onde dispõe sobre o atendimento preferencial de gestantes, mães com crianças, idosos e deficientes. Os Vereadores que estiverem de acordo permaneçam como estão. Aprovado por todos os Senhores Vereadores. Palavra continua à disposição dos Senhores Vereadores. Com a palavra a Vereadora Dra. Eleonora Broilo.

VER. ELEONORA BROILO: Eu apenas quero complementar em relação ao requerimento e agradecer, dizer o porquê desse requerimento. Porque vários idosos vieram a mim questionando que ficam muito tempo aguardando na Farmácia Popular para ser atendido, que muitas vezes são pessoas, com dificuldades de locomoção. Então eles pediram que eles tenham preferência no atendimento. Essa é a razão do requerimento. Obrigado.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Obrigado Vereadora Dra. Eleonora Broilo. A palavra continua à disposição dos Senhores Vereadores. Com a palavra o Vereador Dr. Thiago Brunet.

VER. THIAGO BRUNET:  Boa noite, brevemente eu gostaria de fazer uma saudação ao Alexandre Turcatti que se faz presente aqui nesse Plenário. A minha solicitação pela fala desse momento, é justamente parabenizá-la pela sua atitude, como cidadã farroupilhense, como uma pessoa que busca a melhoria das condições de vida não só sua, mas também das pessoas que moram próximas a sua habitação, e também está preocupada com a qualidade de vida do cidadão farroupilhense. Eu falo isso porque como médico e hoje Vereador, eu acho muito salutar, que as pessoas passem a ter esse de comportamento dessa mulher. Essa mulher veio até mim, me solicitou que fosse tomado providencias na sua rua Hilário Hilghert, no bairro São Francisco tem um problema muito sério de esgoto a céu aberto, inclusive já andei vendo. Área de proteção ambiental, que nós vamos ter que ver no Plano Diretor para que se tome providencias. Mas enfim queria parabenizar essa atitude, pois ela veio até mim. Nós temos uma reunião ás 09h30min, está marcado né? Continua marcado, com algumas lideranças da Comunidade do Bairro São Francisco, para que a gente consiga melhorar as condições de vida daquela região e é muito importante a gente parabenizar o comportamento dessa cidadã. Que vem até o Vereador, que vem até o seu Vereador, para que a gente faça benefício para o coletivo. Ela não veio me pedir nada, não veio me pedir emprego, não veio me pedir nenhuma situação de benefício próprio para sua casa, veio pedir benefícios para a sua comunidade. Parabéns, pela sua atitude, eu acho que é assim que a comunidade como um todo de Farroupilha e assim quiçá no Rio Grande do Sul, tornam-se cada vez melhores, quando a gente se preocupa com o todo, não apenas com o seu umbigo, então parabéns. Vereadora Dra. Eleonora, gostaria de aqui fazer um breve relato, que conheço muito bem a Farmácia Municipal, e com certeza, serei eu, uma das pessoas como tenho um acesso bem íntimo com o Márcio Guilden, vou cobrar dele isso aqui, porque realmente as pessoas idosas, crianças no colo, gestantes, tem que ter preferência. Também gostaria aqui de relatar, assim como talvez temos esses problemas de atendimento, que se a Senhora relata eu acredito. É importante a gente ressaltar também que é uma Farmácia Popular, que tem quase todas as medicações à disposição da população, eu desconheço uma farmácia Popular em um Município próximo aqui, que tenha Nimesulide, Amoxilina com Clauvulanato, a gente sabe, somos médicos, que são medicações de alto custo, que dificilmente algum Município, banca com o SUS, e o nosso Município banca. Então eu acho que também tem que fazer as devidas proporções, o que está errado tem que corrigir, e o que está correto tem que ressaltar e tem que ser falado aqui na Tribuna. Bem primeiramente era isso, queria fazer essas duas avaliações. Muito obrigado Senhor Presidente.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI:  Obrigado Vereador Dr. Thiago Brunet. Palavras está à disposição dos Senhores Vereadores. Com a palavra o Vereador Tiago Ilha.

VER. TIAGO ILHA: Senhor Presidente, gostaria de em tempo ainda cumprimentar nosso amigo Jorge, do Jornal Farroupilha, que está aqui prestigiando essa Casa, também o Jornal Farroupilha que há muitos anos também leva as informações da nossa Comunidade, obrigado pela presença do Jorge e as demais pessoas que chegaram. Eu queria fazer dois relatos, como eu falei aqui, eu gosto de que quando ações de impacto diretamente a população, feitas com pequenos esforços funcionam. Nesse exato momento está acontecendo num lugar onde nós gostamos muito, Vereador Arielson, no Parque dos Pinheiros, nesse momento está acontecendo a Música no Parque. Então foi montado um pequeno palco coberto, feito de forma rústica, aonde que toda semana os músicos da cidade, terão lá um lugar para fazer sua música, falar de cultura, fazer algumas apresentações de cunho cultural, e tenho certeza que aquelas pessoas que vão nesse horário, Vereador Arielson, caminhar, vão ter uma oportunidade de toar um chimarrão, escutar uma música e nesse momento, até para abrir esse rol de apresentações, todas elas de feitas de forma voluntária, está lá nosso vice-Prefeito, Pedro Pedroso, que encampou, que foi um dos que fomentaram a ideia, junto com o nosso Secretário de Turismo e Cultura, o Francis, e que já está funcionado, eu acho que é uma atitude pequena. Como eu dei uma exemplo semana passada aqui Juliano, da ação que foi feita lá no campo de futebol, uma ação pequena, envolvendo poucos recursos, mas que já agradou, o pessoal já nos comentou. E já está saindo também o campo de vôlei, para também aproveitar e também otimizar mais os espaços. Pequenas ações e importantes, que eu acho que façam diferenças do ponto de vista de lazer das pessoas, que gostaria de fazer esse destaque especial. Apenas para contribuir também, eu gostaria de dizer, Vereadora Eleonora, parabéns pela sua atitude junto a Frente, eu não pude estar presente, nesse dia, o Vereador Aldir Toffanin, esteve representando os demais Vereadores, eu acho que a Senhora vai ter um caminho muito aberto com esse menino chamado, Edson Barbosa, um menino muito simples de bom trato, tenho certeza, que ele estará representando muito bem o Município, na conversa com essa Frente, trazendo as informações necessárias. Que bom que outras pessoas possam usar o seu exemplo, eu aqui faço mais uma coisa para contribuir a Frente Parlamentar de Defesa Animal, nós temos que fazer uma grande campanha de doação, temos que quem sabe usar aqui a Câmara de Vereadores, as redes sociais da Prefeitura, fazer uma grande campanha de doação. Mas tem que ser uma doação facilitada, não queremos dizer que todo mundo pode pegar, e não cuidar bem do Animal, mas desde que ele tenha uma identificação, eu acho que temos que facilitar a forma das pessoas adotarem um animal. Porque em algumas situações, acaba sendo mais difícil adotar um animal, do que qualquer outra coisa. Então eu acho que nós temos que fazer um fomento, claro que tem que ter um acompanhamento para que os animais sejam bem cuidados né? Então, eu acho que temos que fazer uma grande campanha de adoção, para que possam trocar de lugar, lá onde está sub lotado, lá na ONG, ou nas outras ONGS, possam ir para a casa das pessoas. Quem sabe com trabalho Edson Barbosa, acompanhado, daqui a pouco fazer uma visita nessas famílias que receberam, ver se os animais estão sendo bem tratados, se estão comendo direito. Então eu acho que é uma forma especial, para isso a pessoa não precisa ter grandes posses financeiras, tendo amor carinho e vontade, pode ter um animal em casa. O exemplo do Vereador Tadeu e do Vereador Josué Paese Filho e outros que tem muitos animais em suas casas e tem um lugar para cada um né Vereadora Dra. Eleonora? Então que a gente possa fazer esse fomento também aqui na Câmara de Vereadores, e possa trazer essa grande campanha também, para que nossos farroupilhenses, possam se envolver. Que a nossa comunidade, a minha a sua, a nossa Comunidade de Farroupilha, ela é uma comunidade que ajuda, é uma comunidade que se importa. O Vereador Thiago deu um exemplo aqui, enfim da senhora que está aqui trazendo uma reinvindicação importante, eu acho que a nossa comunidade, quando provocada, eu vejo lá na igreja Vereador Jorge, a comunidade quando provocada ajuda. Então eu acho que nesse sentido, vai ser muito importante esse fomento. É isso Senhor Presidente, muito obrigado.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Obrigado Vereador Tiago Ilha. A palavra está à disposição dos Senhores Vereadores, com a palavra o Vereador Alberto Maioli.

VER. ALBERTO MAIOLI: Senhor Presidente, demais Vereadores, quero dar uma saudação toda especial aos funcionários da Casa, Edson Barbosa da REDE, sua bela “ragazza”, aquele da camisa do Grêmio lá, que ontem o nosso Grêmio perdeu, mas, vai fazer o que? Futebol é isso aí mesmo. Mas acontece uma coisa muito importante, que eu vi atentamente dos Vereadores, que me antecedeu o Vereador Tiago Ilha, quando se fala que nós temos que transmitir coisas boas, eu acho que é uma coisa muito importante. E essa virtude eu tenho, quantas pessoas que já me perguntaram, “mas Vereador Alberto, vai fechar o hospital? ”  De maneira nenhuma, só o que faltaria! Senão chega uma negatividade para a população, que eles pensam que vai acabar o hospital, agora que alguma coisa tem que ser feita para poder dar continuidade à vida do Hospital, tem que fazer alguma coisa. Certamente com essa Consultoria, vem ali para ver os remendos que se tem para fazer. Agora vou dizer aqui, 359 funcionários. Hoje no hospital precisa de tantos funcionários assim? Uma despesa de R$ 1.200.000,00 por mês, e olha lá se não é mais coisas, e só de funcionários, então eu acho que tem que ser revisto alguma coisa. Então quando eles falaram da ex- primeira dama, seria a esposa dos ex-presidente, se o que os outros já cometeram de barbaridade, e os que irão lá para serem julgados, ela não é nenhum fio de cabelo gente, porque tem tantas coisas para serem julgadas, dentro daquele Congresso Nacional, que é uma pena, parece que eles estão com o poder de roubar, todo o dinheiro do povo que trabalha. Que o Brasil não estaria em uma situação tão vergonhosa, que o povo fala mal do Brasil, por causa daqueles políticos sem vergonhas que nos representa com muita maldade. Mas aqui eu também quero dar uma saudação que me esqueci, ao Jorge do Jornal Farroupilha, nosso grande amigo, tinha o Gasperin aqui também. Eu nessa viagem que viajei essa semana aqui para o Paraná, eu pude pegar um folheto de propaganda de alimentos do Mercado Pasadini, lá de Dois Vizinhos, então vejamos bem aqui, a batata inglesa, da variedade Monalisa, mais diversas, vendidas no mercado a R$0,27 o quilo. Então vejamos, quanto a pobre do agricultor ganha, R$ 0,27 ao quilo. Um cidadão que você pega hoje em dia para trabalhar, tu paga R$ 100,00/dia, ele tem condições de comprar 370 quilos de batatas em um dia de trabalho, então vejamos bem Senhores, até o tomate, olha aqui? R$ 0,98, gente, que barbaridade, além de tantas coisas aqui que eu vi, que realmente é muito barato. O nosso agricultor está realmente sofrendo as minguas, para poder ficar no campo. E viajando assim, ainda assim falei com um cidadão que plantou milho, uma bela quantidade de milho, ele disse, ano passado ganhou, R$ 50,00, R$ 60,00 o saco, esse ano aqui, ele vai ter naquela área de 200, 300 hectares que ele plantou, R$ 50.000,00 de prejuízo, de tão barato que será o milho naquela região. Então vejamos bem, como é delicado as coisas do nosso Brasil, alimentação. O governo se comprasse esse milho, para poder incentivar esse agricultor, para poder ficar lá na terra, para poder produzir. Não. Porque isso vai desanimar todo mundo, porque amanhã depois, ninguém mais vai querer plantar, o pessoal vai dizer, vamos embora morar nas periferias da cidade, que ganhamos muito mais que ficar lá na terra para poder trabalhar, mas uma coisa vou poder dizer. Que eu acho que amanhã depois termos que nos precaver, porque acho que a alimentação vai aumentar muito, porque todo mundo vai querer ir embora da terra, então quando que não tem mercadoria, a mercadoria vai ter um preço exorbitante. Mas momentaneamente a minha manifestação era isso aí Senhor Presidente.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Obrigado Vereador Alberto Maioli. A Palavra está à disposição dos Senhores Vereadores. Com a palavra o Vereador Sandro Trevisan.

VER. SANDRO TREVISAN: Eu queria cumprimentar o Jorge do Jornal Farroupilha, o Juliano que me ajuda na batalha quase que diária, tenho que dizer sempre, “Juliano te aclama, Juliano te acalma. ” A Daniela que está sempre firme e forte ali, o Jacson com essa camisa muito bonita, azul, branca e preta. Então Senhor Presidente eu tenho um requerimento aqui. O Vereador signatário requer a anuência dos demais pares, para que seja encaminhado ao Poder Executivo Municipal, sugestão de Projeto de Lei, onde inclui no Calendário Oficial de eventos do Município, A Semana da Juventude, alteração da nomenclatura, se dá de acordo com a Lei Federal da Juventude, nº 12.852/2003, afim de atualizar a própria Lei Vigente, tendo em vista, que tenha informação de que esse ano será realizada a Primeira Edição da Semana da Juventude. É isso Senhor Presidente.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Colocamos em votação, o requerimento nº21/2017, na qual o Vereador Signatário requer a anuência dos demais pares, para que seja encaminhado ao Executivo Municipal, sugestão de Projeto de Lei, que inclui no Calendário oficial de Eventos do Município, a Semana da Juventude, pelo que se eu puder contribuir, fica também alterada, como Semana da Juventude, ao invés da Semana Jovem. É isso Vereador? Podemos colocar em votação? Colocamos então em votação o Requerimento nº 021/2017 de autoria do Vereador Sandro Trevisan. Os Vereadores que estiverem de acordo, permaneçam como estão. Aprovado por todos os Senhores Vereadores. Obrigado Vereador Sandro Trevisan. A palavra continua à disposição dos Senhores Vereadores. Com a palavra o Vereador Aldir Toffanin.

VER. ALDIR TOFFANIN: Senhor Presidente, Senhores Vereadores, quero cumprimentar meu amigo Jorge, que já estava nos devendo uma visita nessa Casa né Jorge? César, o Paulo, demais aqui presentes, o Alexandre Turcatti, que deve estar no próximo sábado né? Alexandre Turcatti, é jogador do 4 de junho, a felicidade deles é que vão pegar os Veteranos do Grêmio, se pega os do Inter a coisa fica difícil né? Vereador Mário já olhou. Senhor Presidente, hoje eu venho a essa Casa, com uma preocupação muito grande, quanto á grande quantidade de mato nos terrenos baldios, em nosso Município, se o Vereador Arielson até puder contribuir com isso, no passado houve, não sei se foi um projeto de Lei, ou, uma sugestão de Projeto, de uma multa até referente aos terrenos baldios. Nesse último fim de semana fui convidado no meu bairro, Bairro América, para dar uma olhada em alguns terrenos e fiquei bastante assustado, muito mato nesses terrenos, muito mato mesmo, alguma coisa tem que ser feito. Quem sabe uma multa, colocar no IPTU, não sei o que legalmente a gente pode fazer, só sei que do jeito que está, está muito perigoso, temos que achar uma solução. Lhe cedo um Aparte Vereador Arielson.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Um aparte ao Vereador Arielson Arsego.

VER. ARIELSON ARSEGO: Obrigado pelo aparte Vereador, somente salientar que existe, no nosso Município, um código de postura, onde os proprietários de terrenos, e foi votado isso no ano passado, nós fizemos uma Lei, veio do Executivo Municipal, nós discutimos isso, com a Administração, votamos nessa Casa é Lei, tem que fazer uma citação ao proprietário, depois disso, se ele não fizer, é feito um Edital, o Município tem inclusive o poder de fazer a roçada do terreno, a limpeza e fazer a cobrança do proprietário, inclusive, aumentou esse valor, o que precisa é uma fiscalização da Prefeitura, o Senhor como Vereador de Situação, inclusive, pode chegar à Prefeitura, se tiver algum terreno que a pessoa reclamou, o Senhor tem o endereço, é interessante repassar isso para a Prefeitura, teve uma época que se mandava cartas, para que os proprietários fizessem a roçada, se não fizessem a roçada, o Município, através então, tem que fazer um edital, volto a dizer, porque se cobrar alguma coisa e morador disser que não foi avisado, também pode causar problemas para a Prefeitura. Mas existe a Lei, basta que tenha sido feita a fiscalização, a cobrança, se não for feito isso o Município, fazer a roçada e cobrar do Proprietário.

VER. ALDIR TOFFANIN: Obrigado pela Aparte Vereador Arielson, então acho que se já existe essa Lei, é um grande passo, já adiantado estamos, foi importante a sua Aparte, então vamos começar a cobrar mais, começar a cobrar. Porque a grande quantidade de terrenos baldios com esses problemas, são terrenos de investidores, muitos deles, nem moram em nosso Município né? Vem aí, compram, vão embora, deixam aí esses terrenos, e não vão mais atrás. Outros problemas que eu estou vendo, que eu vi até um requerimento que será encaminhado depois pelo Vereador Josué Paese Filho, se não me falta memória, uma visita nossa, junto a Brigada Militar, é grande quantidade de bares que ficam abertos até altas horas da noite. Não só no centro, como nos bairros também, hoje está virando uma coisa comum em muitos bairros, o pessoal fica até altas madrugadas, com o chamado “Bailinho”, que se facilitar do “Bailinho” vira “Facão”. Então é uma preocupação grande desse Vereador aqui. Tenho certeza que com o nosso papo, vamos pedir uma fiscalização também da Brigada Militar nesse sentido, e vamos atrás. Do jeito que está não dá para ficar, era isso Senhor Presidente, muito obrigado.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Obrigado Vereador Aldir Toffanin, a palavra está à disposição dos Senhores Vereadores. Com a palavra o Vereador Josué Paese Filho.

VER. JOSUÉ PAESE FILHO: Obrigado Senhor Presidente, Senhores Vereadores, Vereadora Eleonora, imprensa, o Jorge que está aqui presente, demais pessoas, funcionários da Casa. Apresentar 2 requerimentos, Senhor Presidente, nº 27/2017, “os Vereadores da Comissão da Industria, Comércio e Turismo, Serviços e Agricultura, requerem que seja enviado ao Poder Executivo, ou ao seu setor competente, para que veja a Possibilidade de analisar e atualizar, a Lei Municipal, que declara os Eventos Promovidos e/ou apoiados pelo Município, visto que alguns eventos já mudaram de nomenclatura e outros já nem existem mais. ” Então nós poderíamos da Comissão, que faz parte o Presidente Alberto Maioli, este Vereador e o Vereador Arielson Arsego, ir até a Secretaria buscar essas informações, mas eu acho que fica mais prático até para o Poder Executivo, mandar para essa Casa, para ver quais ainda estão em vigência, e quais não existem mais, para nós sabermos aqui o que tem que ser feito, e mudarmos a Lei. Se for necessário, então gostaríamos que o Senhor colocasse em votação.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Colocamos então em votação o requerimento nº027/2017, de autoria dos Vereadores participantes da Comissão Industria, Comercio, Turismo, Serviços e Agricultura, na qual solicitam que o Município atualize a Listagem de Eventos que estão no Calendário oficial do Município. Os Vereadores que estão de acordo permaneçam como estão, aprovado por todos os Senhores Vereadores. Com a palavra o Vereador Josué Paese Filho.

VER. JOSUÉ PAESE FILHO: E o Requerimento de nº025/2017, “a Comissão de Segurança pública através do Vereador Josué Paese Filho, requer a Vossa Excelência, que veja a possibilidade de marcar uma audiência para os membros dessa Comissão, os Vereadores Josué Paese filho, José Mário Bellaver e Aldir Toffanin, com a Tenente Coronel do 36º Batalhão Cristine Rasbold”, depois, eu sei que a bancada do PMDB, vai encaminhar um requerimento pedindo a presença dela aqui. Mas acho que primeiro vamos lá conversar com ela, se apresentar né? E levar algumas, que nem o Vereador Aldir já falou, e outros problemas que temos com a Segurança, não só aqui na cidade, nós bairros, mas eu também vi hoje aqui na imprensa, agricultores preocupados com a segurança, isso não é só Farroupilha, é o Estado, é o Brasil todo. Então gostaria que o senhor colocasse em votação Senhor Presidente.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Antes de colocar em votação Vereador, só para lhe informar, em uma outra Sessão já havia sido solicitada que a Secretaria da Casa já está em contato, para fazer o agendamento, só que como a Tenente assumiu agora a pouco tempo, então já está sendo encaminhado. Então colocamos em votação o requerimento nº025/2017 de autoria do Vereador Josué Pese Filho, na qual solicita audiência, com a nova Tenente Coronel do 36ºBPM, Sra. Cristine Resbolt, com a Comissão de segurança Pública dessa Casa, os Vereadores que estiverem de acordo, permaneçam como estão. Aprovado por todos os Senhores Vereadores. Para concluir a sua fala Vereador Josué Paese Filho.

VER. JOSUÉ PAESE FILHO: Eu ouvi com toda a atenção a Vereadora Dra. Eleonora na Tribuna, dos assuntos e um deles da Frente Parlamentar sobre os Animais, faltou numa visita então, quero dizer que na outra Legislatura, onde que já existia uma Frente, tivemos lá, fizemos uma Visita, a Presidente era a Vereadora Maristela, Vereadora na época, e de lá pra cá a verdade tem que ser dita, até a parte da higiene, tudo melhorou bastante, o Senhor estava junto na outra também, aqui temos que dizer que melhorou bastante, fomos bem atendidos, né Presidente da Comissão, muito bem atendidos, pelo Edson Barbosa, pela Dra. na área que ela atende, e nós temos outros passos para seguir. Nós já tínhamos deixado meio agendado que amanhã após a Sessão né? Que não tem muitos projetos na Casa, que nós se reunimos após a Frente Vereador Alberto Maioli, após a Sessão, ali na sala de reuniões para ver os próximos passos e mais algumas visitas né? Para depois podermos visitar as ONGs, os cuidadores, os protetores, para depois nós chegarmos ao Executivo, e ver o que dá para fazer. Não adianta querer atropelar as coisas, porque é uma situação bastante complexa, o negócio sobre os animais, então nós temos que ir passo a passo com calma, resolvendo umas questões principais que é a castração, a doação, Vereador Tiago, fazer um trabalho muito bem feito com a mídia, com a imprensa, como sempre a imprensa de Farroupilha, em todos os aspectos sempre colaborou, nessas situações e vamos em frente. Estava ouvindo o Vereador Thiago aqui na Tribuna e o Vereador Tadeu também, sobre a Frente Parlamentar do Hospital São Carlos, quero aqui parabenizar essa equipe que está trazendo informações para esta Casa, onde toda essa Casa aprovou essa Frente Parlamentar, e eu só me faço uma pergunta, que a gente viu muito falar, “vai fechar o hospital, não vai fechar, fecha, não fecha, está quebrado, não sei o que, não sei o que”, que pena Vereador Tadeu, Vereador Thiago e Vereadores, e dois médicos que estão aqui, que esses números, inclusive o Vereador Dr. Thiago também trouxe alguma coisa sobre esses números, porque que não vieram há um ano atrás, dois anos atrás, não tinha essa polemica. Eu vou dizer uma coisa para vocês aqui, foi mais uma questão em cima do Hospital São Carlos, lógico, que está com uma dívida enorme, mas foi mais uma questão política do que tentar resolver os problemas do Hospital São Carlos, obrigado Senhor Presidente.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Obrigado Vereador Josué Paese Filho, a palavra está à disposição dos Senhores Vereadores, com a palavra o Vereador José Mário Bellaver.

VER. JOSÉ MÁRIO BELAVER: Boa noite Senhor Presidente (falha no microfone), saudar também os funcionários dessa Casa e as pessoas que nos visitam nessa noite. Eu tenho um requerimento Senhor Presidente para apresentar, da bancada do PMDB, que: “A bancada do PMDB, abaixo firmado, solicita, anuência dos demais pares, para que sejam enviados votos de congratulações pela passagem do comando do 36º BPM, na data de 02/20/2017, em que o Major Luiz Fernando Becker, transmitiu o cargo á Tenente Coronel Cristine Resbolt, desejando êxito nessa função. ” Eu gostaria que o Senhor pudesse colocar em votação Senhor Presidente.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Colocamos em votação o requerimento nº 023/2017 de autoria da bancada do PMDB, na qual congratula o Major Luiz Fernando Becker, e a Tenente Coronel Cristine Resbolt, pela transmissão de cargo, os Vereadores que estiverem de acordo permaneçam como estão, subscrito então, pela bancada da REDE, PDT, PRB, PP, PT e PSB, subscrito por todas a bancadas. Aprovado por todos os Senhores Vereadores, com a Palavra o Vereador, José Mário Bellaver.

VER. JOSÉ MÁRIO BELLAVER: Obrigado Senhor Presidente e demais colegas Vereadores e também, nós já tivemos contato com a Comandante, a após então, esse requerimento da Comissão de Segurança, que o Presidente é nosso colega Vereador Josué Paese Filho, no qual esse Vereador faz parte e o Vereador Aldir Toffanin também, nós iremos então convida-la para que ela venha até essa Casa, para que ela venha fazer uma explanação e poder assim, todos os Vereadores conhece-la e questionar em respeito de alguns problemas que existem na nossa cidade principalmente. Então após a visita que iremos fazer no 36º BPM, iremos trazer outro requerimento do convite para que ela venha até essa Casa. Também, ouvindo os demais colegas Vereadores, a respeito da situação a gente não gosta muito de falar da situação do hospital, mas a realidade, infelizmente, é que estamos atravessando nesse momento uma crise financeira, também dizer que o atendimento está sendo bastante restrito, não por parte dos funcionários, mas a gente sabe que todos são profissionais, fazem o trabalho da melhor maneira possível, mas a situação que agravou nos últimos 90 dias do hospital é quando o Prefeito esteve em um veículo de comunicação de nossa cidade, e quando questionado, ele dizia que poderia sim fechar o hospital em 90 dias. É isso que alarmou a comunidade. Isso é de conhecimento de toda a população do nosso Município. Então Vereador Tiago Ilha, tem que falar com o Prefeito que ele não vá à imprensa e fale isso publicamente para a população, nós conhecemos a situação do hospital, não toda a realidade é lógico, mas agora com a Comissão. Com a Frente Parlamentar, acho que muita coisa pode ser esclarecida, mas quando que o Prefeito de uma cidade, Farroupilha, chega num veículo de comunicação da cidade e quando questionado, diz que em 90 dias, “poderá” fechar o hospital, imagine a população como vai se sentir. Então primeiro temos que corrigir essas falhas do próprio Prefeito que alarmou a comunidade. Também Vereador Alberto Maioli, nós que somos ligados muito ao interior, a preocupação é muito grande com esses dados que o Senhor trouxe, é claro que a população gosta disso, porque elas poderão comprar 10 quilos de batatas por R$ 2,70, claro que o agricultor sofre bastante, mas tem oportunidade que os agricultores ganham bastante dinheiro com a produção, são a entre safra e a safra, quando há o excesso de produção. Também o tomate, com esse valor que existe, não é diferente da nossa região, do próprio pêssego, com a ameixa, esse ano também tivemos bastante dificuldades, a gente tem contatos com os produtores, infelizmente foi um ano que nos preocupou bastante. Parece-me que a uva está se mantendo num preço bom e há esse equilíbrio, para que o produtor consiga permanecer na lavoura por causa desse incentivo, que tem na uva, mas pelas demais produções que existem no nosso interior, nos preocupa bastante, porque o preço desse ano realmente é um preço que voltou a ter mercadorias de centavos, então nós de uns 2 ou 3 anos que nós não tínhamos mais esses valores, e também um pé de alface, R$ 0,05, R$ 0,02, imagine o produtor, infelizmente a situação né? Mas são épocas, mas há outras estações do ano que poderá recuperar, mas nesse momento a situação está muito complicado. Era isso Senhor Presidente, obrigado.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Obrigado Vereador José Mário Bellaver. A palavra está à disposição dos Senhores Vereadores, com a palavra o Vereador Jorge Cenci.

VER. JORGE CENCI: Senhor Presidente, demais Vereadores, comunidade que nos prestigia. Eu queria fazer uma reivindicação, uma reclamação e uma constatação ao mesmo tempo. Falo do KM 61 da RS 122, que está trancado e está parado há mais de 30 dias, mais precisamente 36 dias hoje. Uma entrada bastante importante para aquela região do Bairro Medianeira, do Bairro Santa Catarina, bairro Centenário, a gente vê que a administração ou a empresa em si, não toma previdências para solucionar aquela, entrada que é muito importante para inúmeros moradores, diante daquele problema em si, já vem afetando o comercio da região, porque, muitos passam do local, para voltar para Farroupilha, pegam o entroncamento e o pequeno contorno ali da saída do bairro Monte Pasqual, aonde é um perigo muito constante e o espaço é muito pequeno. Então diversos moradores têm que ir até o outro contorno que fica junto à saída do antigo pedágio, na linha Julieta e muitos até o posto da Policia Rodoviária Estadual, para poder fazer o retorno e voltar para Farroupilha. Cedo um aparte ao Presidente Fabiano André Picolli.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Só para passar informação Vereador, a empresa responsável pelo acidente, a Giovanella de Caxias do Sul, ela hoje passou informação para o Governo que irá colocar SinaLeiras, que é uma responsabilidade da empresa que causou o acidente isso, e a prefeitura, através da Secretaria de Planejamento teve que ameaçar entrar via judicial, para que a empresa resolvesse o estrago que fez dia 31/12/2016. A responsabilidade é da empresa ela começou a fazer o concerto há uns 15 dias trás, onde concertou o Guardrail e meio fio. Hoje de meio dia o Secretário David me posicionou que a empresa tenha dado ok, então nos próximos dias estará resolvido o problema, obrigado pelo aparte.

VER. JORGE CENCI: Agradeço o aparte Presidente, na verdade eu entendo em si, que a empresa tenha que reembolsar aos cofres públicos com certeza. Mas o que eu não entendo é a demora da execução da obra, tendo em vista que, a obra, desde que eu tenha conhecimento, ela seria, quitada no meu ponto de vista. Que é normal em todas as obras, depois de ser executada. Então eu vejo que existe uma questão bastante desconfortável, eu diria, tendo em vista o grave problema que existe, que está afetando lojas, postos de combustíveis, o próprio comercio do nosso município. Então, eu acho que deve ser tomado providencias o mais breve possível, porque na verdade, eu tenho conhecimento sim, que está sendo aguardado que a empresa pague, mas eu acho que própria Prefeitura deveria executar a obra e depois ser reembolsada em si do honorário em si, do custo que houve. Aproveito ainda para falar referente a questão saúde, o Vereador Tiago Ilha, comentou referente a questão, que nós não devemos denegrir a imagem do hospital, eu concordo com o Senhor, a questão de denegrir a imagem ela é da comunidade na verdade, então nós temos que passar credibilidade, fazer com que a comunidade volte a acreditar no hospital. Fico muito contente que o Senhor levantou uma situação que eu já comentei aqui recentemente, que nós temos que levar serviço para o hospital, sem serviços não tem como fazer o hospital sair da crise. Então eu acho que nós usamos isso, e chamamos os médicos para internar no hospital São Carlos. Era isso Senhor Presidente.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Obrigado Vereador Jorge Cenci, e só para completar a informação, a empresa que venceu a licitação para que conduzisse a obra foi a Tramontina, que subcontratou a Dalfovo, a Dalfovo entregou a obra e a Tramontina acabou com a responsabilidade em cima dessa obra, após a entrega da obra…

VER. JORGE CENCI: Só uma colocação, mas a obra não estava concluída né Presidente?

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Pela parte da Tramontina sim, aquele trevo, estava concluída, ao passo que um caminhão de uma transportadora destrói sinaLeira, é responsabilidade de essa empresa fazer o concerto, e a Prefeitura, se ela fizesse algum movimento ali, Vereador Jorge, como é que a Prefeitura iria cobrar se tem um colega que é secretário de Finanças? Cobrar dessa empresa depois seria só para concluir a questão. A palavra continua à disposição dos Senhores Vereadores. Com a palavra o Vereador Thiago Brunet no seu espaço de Líder de Governo.

VER. THIAGO BRUNET: Boa noite novamente, gostaria aqui de saudar também, a presença dos meus dois grandes amigos que ali estão, a Fernanda quase dormindo, já levantou, já foi no banheiro já saiu lá fora, mas continua firme ali nos escutando, e o meu grande amigo Flávio Campetti, saudações, obrigado pelo prestigio, por estarem presentes aqui. Eu acredito também que o hospital tem que ser a fonte da credibilidade, o nosso atendimento tem que melhorar, a saúde financeira do hospital tem que melhorar, mas também é verdade, Vereador Jorge Cenci, que existem muitas pessoas e infelizmente, muitos colegas meus que vem denegrindo a imagem do hospital, isso não constrói, isso não edifica nada do nosso trabalho, então eu peço para esses profissionais, e vou dar nome a um deles, não tem problema nenhum, acho que tem que dar nome aos bois, existe um cidadão, um médico que atende na minha área, que se chama Paulo Cantarelli, este cidadão, infelizmente nos últimos meses, ele tem dito às suas pacientes que o Centro Obstétrico está fechando, que não tem serviço lá no Hospital São Carlos, que é melhor elas procurar o Hospital de Caxias, o Hospital Geral, para que façam o serviço. Isso é muito medíocre da parte desse cidadão, assustar essas gestantes que estão com o bebe no colo e falar isso para elas. Eu digo isso, porque no mês de janeiro, eu quero aqui deixar um relato, para que todos saibam, eu fiz 43 partos no Hospital São Carlos, destes, 33 foi SUS, fiz 10 convênios, e 33 partos SUS, isso dá um parto e meio por dia, e muitas destas gestantes chegaram, porque eu não faço saúde e obstetrícia no SUS, eu não faço na rede básica. Mas elas chegam até mim e me relataram a situação deste cidadão das quais elas eram pacientes dele durante o Pré-Natal, e orientava essas pacientes a não buscar o serviço do Hospital São Carlos e sim buscar em Caxias do Sul, eu quero deixar claro para todos aqui, e é um desabafo também, meu, que enquanto eu estiver trabalhando nesse hospital e morando nessa cidade, o Centro Obstétrico não fecha. Fiz 43 partos o mês passado, estou com o meu salário atrasado sim, mas existem coisas que são mais importantes do que simplesmente salário. Estou com o meu salário atrasado de médico, obstetra, plantonista, o meu salário de diretor técnico Vereadora Dra. Eleonora, está em dia não, porque hoje não recebi, mas tudo bem, em dia não está, porque hoje era para pagar a folha e não foi pago. Mas isso aí, a situação financeira, é uma situação que obviamente é inserida e é sistêmica em todos os hospitais no Rio Grande do Sul e do Brasil. Porém, aqui vocês não irão mais me fazer esses discursos, de que está todo mundo aqui, acabou, chega, chega, acabou. Eu acho que a gente tem que olhar para os hospitais que estão bem, se espelhar neles, buscar soluções e fazer com que o hospital nosso esteja funcionando de maneira plena. Sua fala Vereador Mário Bellaver, te entendo, acho que nosso Prefeito, quando fala que nosso hospital vai fechar, não acredito que ele pensa isso, acho que ele talvez, fez uma fala, alertando que poderá fechar, todos nós sabemos que poderá fechar, poderá fechar vários estabelecimentos comerciais. Então a fala dele foi com o sentido de alertar, talvez, autoridades, de alertar a própria gestão hospitalar, para que se tome providencias imediatas, tenho certeza de que num curto período de tempo, eu sempre digo que o curto período, tem que ser breve, tem que curto, porque no longo prazo, ninguém de nós vai estar aqui, então nós temos que resolver em curto prazo né? Então tenho certeza que o Prefeito está buscando soluções, está indo atrás, está trazendo algumas informações e num curto período acredito que, além das soluções de ideias, ele vai nos colaborar, com alguma fonte de divisas, alguma situação de empréstimos, alguma situação eu tenho certeza que o nosso Prefeito vai nos auxiliar a sair o hospital dessa crise, não tenho dúvidas, como Prefeito, como uma pessoa integra, e como médico que é, eu não tenho dúvidas que o nosso Prefeito será o baluarte da nossa saída dessa crise, muito obrigado.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Obrigado Vereador Thiago Brunet, a palavra está à disposição doa Senhores Vereadores, com a palavra o Vereador Jonas Tomazini.

VER. JONAS TOMAZINI: Boa noite Senhor Presidente, boa noite aos demais Vereadores, boa noite ao Jorge Bruxel, do Jornal Farroupilha e a todos que se fazem presentes aqui na Câmara nessa noite. Para iniciar a minha fala, eu quero submeter a votação dos demais pares, um requerimento, a gente conta inclusive com o responsável da iluminação pública, trazendo aqui uma informação, sobre um problema que a gente está aqui com a iluminação pública, na Rua Coronel Pena de Morais, quase esquina aí com a Julio de Castilhos, como ponto de referência o Bar do Bolacha, e também na Praça da Bandeira, eu recebi relatos de alguns profissionais que trabalham com taxis, naquele ponto que a gente tem aí na Rua Angelo Antonello, então relatam que a gente tem aí, vários pontos de escuridão, tanto na praça, como próximo aí, nessas imediações, então eu gostaria que o Senhor colocasse Senhor Presidente, o Requerimento nº028/2017, que pede para que o Poder Executivo, veja a possibilidade da  troca das lâmpadas nesses locais, mencionados, sendo que o Requerimento segue também com fotos que comprovam o relatado por esse Requerimento.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Então colocamos em votação o Requerimento de nº 028/2017, de autoria do Vereador Jonas Tomazini, na qual solicita a troca de lâmpadas, na Rua Coronel Pena de Morais e na Praça da Bandeira. Vereadores que estiverem de acordo, permaneçam como estão. Aprovado por todos os Senhores Vereadores. Com a palavra o Vereador Jonas Tomazini.

VER. JONAS TOMAZINI: Eu quero também apenas reforçar da minha manifestação feita na última Sessão, na semana passada na Segunda feria, quando eu falei sobre a questão da AMAFA, e hoje eu percebi no Expediente de deu entrada nessa Casa uma prestação de contas, relativas a essa entidade, então eu acho que isso ajuda a reforçar essa transparência com a qual é conduzida e entidade e também não deu tempo naquela oportunidade, mas falar ao Vereador Tiago Ilha, como é importante a gente ter relatos de pessoas que convivem no dia a dia com situações assim e como a gente pode realmente extrair pontos positivos dessas situações, de como o Senhor disse, aprendendo muito com elas. Então eu não tive oportunidade naquela Sessão de lhe dizer isso, mas quero lhe dizer que lhe admiro por essas colocações. Quero também que a Câmara de Vereadores recebeu respostas ao pedido de informações feito pela bancada do PMDB, em janeiro com relação as câmeras de monitoramento instaladas aqui no Município. O Prefeito Municipal então, ele encaminhou o pedido de informação, ele encaminha uma planilha com a situação das câmeras de monitoramento aqui do nosso Município, eu creio que os demais Vereadores, já tenham tido acesso a essa planilha. Se não tiveram ela está disponível certamente aqui na Casa. E o que eu quero alertar aqui é que infelizmente o nosso receio é realidade, nós temos 23 câmeras de monitoramento instaladas em Farroupilha. Câmeras essas instaladas na sua ampla maioria, senão na totalidade por uma parceria entre a Prefeitura e as entidades do nosso município, principalmente o Sindilojas, comandado pelo Presidente Claudir Bono, e também pela comunidade que colocava recursos para que essas câmeras fossem instaladas e mantidas. E aí Senhores, das 23 câmeras de monitoramento, oito, mais de 1/3 delas estão, neste momento, sem funcionar. A informação que nós tínhamos como informal, ela é oficial agora, com essa resposta do Senhor Prefeito. Infelizmente aquilo que eu disse quando dei entrada no pedido de informações, que nós gostaríamos que aquele pedido servisse não só para dar as informações, mas sim para resolver o problema que a gente já avistava, através de uma entrevista para o então comandante da Brigada Militar, Major Becker, fosse encaminhado e resolvido. Eu vou apontar aqui 5 câmeras de monitoramento, para que vocês saibam aqui a importância dessa resposta. A esquinada Rua Coronel Pena de Moraes com a Rua Pinheiro Machado, referência Banrisul, não está funcionando, a câmera da Rua Independência com a Rua Pinheiro Machado, ali na Panvel, na antiga rodoviária, não está funcionando, a câmera da Rua Independência com a Rua Julio de Castilhos, esquina seguinte, ali na Farmácia São Lucas, não está funcionando, Rua Julio de Castilhos com a Rua Paim Filho, aonde a gente tem ali o Posto Modelo, também não está funcionando e na Rua da República com a Rua Julio de Castilhos, que poderia amenizar aquela situação dos moradores que reclamam do funcionamento de bares e de badernas que ocorrem naquele local, a câmera dessa esquina também não está funcionando, nem no local está. Então eu quero pedir a colaboração de todos para que de maneira positiva, contribuam e sensibilizem o Prefeito Municipal para que essa situação seja de uma vez por todas resolvidas. Era isso, muito o brigado Senhor Presidente.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Obrigado Vereador Jonas Tomazini, a palavra está à disposição dos Senhores Vereadores. Com a palavra o Vereador Tiago Ilha, no seu espaço de Líder de bancada.

VER. TIAGO ILHA: Senhor Presidente, só para complementar, Vereador Jonas Tomazini, eu acho que o Senhor acabou de, tomara que o nosso amigo Jorge e os demais da imprensa não divulguem quais as que não estão funcionando, porque a gente está dizendo para o pessoal que trabalha com o crime né, vão lá que lá não está funcionando. Então eu acho que nós temos que ter também uma forma de trazer essa questão, acho que é muito importante, eu como Vereador de Situação estarei também brigando para que o Município e também o Executivo cumpra o dever de manter essas câmeras funcionando, gostaria também de agradecer ao Senhor pela referência que fez aqui a nossa fala anteriormente, e dizer que o Senhor é um dos Vereadores que eu respeito muito, pela sua posição e eu vejo que o Senhor representa a política de cara nova,  aquela que eu sempre gostei de trabalhar. Queria também fazer referência ao nosso Vereador José Mário Bellaver, que as frases do Prefeito, Vereador Thiago não está aqui, nosso Líder de Governo, sempre provocaram um pouco de polêmica na comunidade ao longo dos 4 anos né Presidente Fabiano André Picolli, então nós que trabalhamos lá eu fui chefe de comunicação do Prefeito Claiton, eu tive que me acostumar com as frases que o nosso Prefeito disse na imprensa principalmente, mas depois de um tempo eu passei a entender, que talvez essas frases queriam trazer algum tipo de mensagens. Nessa situação do hospital foi clara a mensagem, que logo após a frase dura que o Prefeito comentou na imprensa começou um grande movimento, inclusive nessa Casa, em respeito do hospital e dizer também que o Prefeito tem umas frases emblemáticas em alguns momentos e eu como lá chefe de comunicação pensava, “meu DEUS, o Prefeito faz umas frases fortes, uns pensamentos fortes”, pois bem, foi para a eleição e ganhou, e ganhou bem a eleição. Então eu começo a pensar que talvez a comunidade entenda esses recados, que o Prefeito dá de tempo em tempo, eu observo que sim, porque de uma forma extremamente significativa de diferença de votos, venceu o pleito eleitoral. Mas, tudo tem um porque, eu acho que também vale a sua ressalva, porque o nosso Prefeito constitui como ser o Líder maior da comunidade, trouxe através dessa fala também uma forma de despertar a todos os envolvidos aí a uma questão importante que acabou fazendo que todo mundo acabasse estando mais próximos da discussão, discutindo de forma profunda o tema. Quero dizer ainda, que reforçando que nós teremos amanhã ás 17h00, aqui na sala de reuniões a nossa reunião da Frente Parlamentar do Hospital. E Vereador Jorge Cenci eu acho que suas reivindicações são justas, mesmo o nosso Presidente fazendo as ponderações eu quero me somar a todos os Vereadores de situação e conversar com o nosso Secretário de Turismo e Cultura, que faça uma ponte com a empresa Tramontina, que possa quem sabe trazer mais informações sobres essa questão que a comunidade reivindica hoje, que por coincidência, eu estive no bairro Medianeira, e fui em um estabelecimento comercial muito conhecido lá do bairro e a primeira coisa quando eu entrei no estabelecimento,  o pessoal se queixou do acesso ao bairro, então eu acho que essa reinvindicação está muito presente lá naquela comunidade, observei isso no último final de semana. No mais é o que eu tinha para esse momento, era isso Senhor Presidente.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Obrigado Vereador Tiago Ilha. A palavra está à disposição dos Senhores Vereadores, com a palavra o Vereador Arielson Arsego.

VER. ARIELSON ARSEGO: Senhor Presidente, até então eu não iria me manifestar, mas Vereador Jonas Tomazini, o que o Senhor fez não foi alertar as pessoas que podem ser os assaltantes, ou até aqueles que querem fazer algo de errado no Município, porquê as câmeras não estão funcionando. O que o Senhor fez aqui, aqui é o local do Vereador inclusive fazer, é alertar aqueles que são os responsáveis, para corrigir o problema que tem, para solucionar o problema que tem das câmeras que não estão funcionando e que pegaram para si o problema, que estava com a Brigada Militar de resolver o problema. Só isso que o Vereador Jonas fez, através de um ofício, através de uma solicitação, um pedido de informações, agora falar para que as pessoas resolvam o problema, só isso. Não foi agora, talvez, até na imprensa possa se colocar isso, mas esta é a informação que veio do Executivo Municipal, para que se faça a solicitação. Eu vi que o Senhor falou que gosta muito de político da “cara nova”, eu sou da “cara velha”, mas, com a possibilidade e tenho sim me reciclado a cada tempo, por isso que estou aqui há seis vezes, político da cara velha, mas, com reciclagem, tentando me adaptar aos novos tempos e fazendo a nova política, Vereador Jonas, e com isso, sempre trazendo também a experiência para esta Casa, que é importante também nós termos, aqui as pessoas que Vereadora Eleonora, que também tem um pouco de conhecimento da Câmara Municipal de Vereadores, assim como lá na administração Municipal, é importante que tenha pessoas que tem o conhecimento da administração Municipal, por isso os concursados são importantes, para dar sequência dos trabalhos, na comunidade, e falar também da questão do Prefeito quando fez as falas, a gente pode interpretar de qualquer maneira, nós podemos interpretar de uma maneira ou de outra, é claro que daqui a pouco a Situação interpreta de uma maneira e a oposição vai interpretar de outra maneira, a fala do Senhor Prefeito, é o responsável pelo Município, responsável pela saúde do município, e ai, que tem que ser medida realmente as palavras, o timoneiro, para que seja feita o melhor pela saúde de Farroupilha, são as palavras do timoneiro, o Senhor Prefeito Municipal, por isso, que estou dizendo aqui, que nós temos que ter cuidado naquilo que a gente fala, porque as palavras que nós colocamos para 70.000 habitantes elas podem ser interpretadas de várias maneiras. E a maneira que o Senhor está dizendo, eu não estou dizendo que não esteja sido feitas pelo Prefeito dessa maneira, mas eu no meu entender, acho que o Prefeito não pode falar esse tipo de coisa. Ele não pode dizer isso, ele tem que procurar falar coisas boas do nosso hospital, para que contagie as outras pessoas, para que outras pessoas também falem isso. Cedo um aparte por ordem ao Vereador José Mário e depois o Vereador Tiago Ilha.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Um aparte ao Vereador José Mário Bellaver.

VER. JOSÉ MÁRIO BELLAVER: Obrigado Vereador Arielson, eu também sou das “caras antigas”, mas com responsabilidades, o nosso tempo se fazia manutenção e não só as colocações das câmeras de vigilância, se mantinha. Quando o Prefeito disse, “entregue para mim que eu resolvo, como que ele fez na intervenção do hospital”, e a situação está aí, as câmeras, 1/3 das câmeras, não estão funcionando e a responsabilidade e as cobranças têm que serem feitas em cima do Prefeito, tanto nas câmeras, no hospital, em outros assuntos que chamou a responsabilidade e não está resolvendo. Obrigado pelo aparte Vereador Arielson.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Com o aparte Vereador Tiago Ilha.

VER. TIAGO ILHA: Na verdade assim é, quando eu quis dizer da nova política, eu não quis falar das pessoas velhas na política, ou das pessoas novas na política, eu quis falar das velhas manias da política, que não quer dizer que sejam os Senhores e aliás, jamais citei o nome dos Senhores, os Senhores tem trabalho de contribuição importante para essa casa, aliás, é baseada na experiência dos Senhores, que nós estamos aqui muitas vezes até entendendo o andamento da Casa. Eu até quero só retificar isso, que não foi nessa a questão, eu falo da nova política, que os Senhores podem inclusive, em muitas ações estarem representando a nova política, que pensam no bem comum e sem o interesse partidário.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Com a palavra o Vereador Arielson Arsego.

VER. ARIELSON ARSEGO: Obrigado pelo aparte, mas eu volto a dizer, e aqui eu tenho que falar. E como eu falei as palavras elas são interpretadas, de várias maneiras, essa fala que o Senhor fez poderia ser interpretada diferente por algumas pessoas que nos ouvem aqui ou em casa. Então fiz questão de dizer, porque não é realmente aquilo que o Senhor disse, não é realmente a cara desse Vereador, do vereador José Mário, do Vereador Josué Paese Filho, do Vereador Raul, que está mais tempo aqui, do Vereador Alberto Maioli, mas só isso Senhor Presidente. Obrigado.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Obrigado Vereador Arielson Arsego. A palavra está à disposição dos Senhores Vereadores. Com a palavra o Vereador Aldir Toffanin no espaço de Líder de bancada.

VER. ALDIR TOFFANIN: Senhor Presidente, Senhores Vereadores, eu apenas por uma questão de esclarecimento então, Vereador Jonas, o problema dessas câmeras, esse Vereador foi se informar, é problema da Caixa de medição, está com problemas, eu sei que está bastante atrasada isso aí, mas tive a informação de que já foi comprada essas caixas, quem sabe nos próximos dias esperamos que esteja resolvido. Era isso Senhor Presidente. Obrigado.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Obrigado Vereador Aldir Toffanin. A palavra está à disposição dos Senhores Vereadores. Com a palavra o Vereador Jonas Tomazini, em seu espaço de Líder de bancada.

VER. JONAS TOMAZINI: Faço uso da palavra agradecendo o nosso Líder, Vereador José Mário pela cedência do espaço e quero começar dizendo que nós da bancada do PMDB, e vou incluir aqui a Vereadora Dra. Eleonora que fez uma citação no grande expediente justamente a essa referência nesse sentido, certamente eu incluo o Vereador Jorge Cenci e me incluo nessa situação, que nós somos felizardos em contar a experiência, com a competência, com o conhecimento, que tem os Vereadores Arielson Arsego e os Vereadores José Mário Bellaver. Certamente o nosso trabalho não fluiria da maneira como vem fluindo, nos pouco mais de 30 dias aqui nessa Casa, se não fosse a contribuição e a ajuda desses Vereadores. Acho também que o fato de estarem aqui por tantos mandatos é prova de que conseguem adaptar-se a solicitações e moldar-se ao que a população solicita, por isso que foram premiados todas essas vezes. Então eu quero publicamente fazer esse agradecimento aos dois que tem nos ajudado bastante. E dizer com relação ás câmeras de monitoramento, justamente o que o Vereador Arielson disse, a gente não pode aqui nessa Casa, e acho que não foi essa intenção e creio nisso, fazer a inversão da situação, seja nessa das câmeras, como tantas outras, na questão das câmeras o nosso objetivo foi justamente esse. Primeiro porque a gente ouvia um bafafá de um lado e de outro, que não funcionava essa, que não funcionava aquela, o nosso objetivo foi ter uma informação oficial. Ela veio e o nós falamos isso, é só pegar lá a Sessão que eu acho que é do dia 16/01/2017, onde a gente disse: “o nosso objetivo aqui não é só receber as informações, o nosso objetivo é propiciar que o Senhor Prefeito Municipal faça o que é da sua competência”, e muito bem dito pelo Vereador José Mário, eu lembro bem, quando essas câmeras estavam sobre os cuidados do Sindilojas e se eu não me engano, ou o Prefeito ou o Vice que era ligado a um cargo, algum conselho as segurança, dizia, “entrega para mim que eu resolvo”, essa frase já é conhecida. A gente sabe o que acontece quando eles dizem isso, temos mais de um exemplo nesse sentido. Então eu quero dizer assim, que eu só quero dizer que eu não estou alertando e eu vou também disponibilizar, a gente já tem aqui o telefone, Vereador Tiago Ilha, fotos, imagens, que demonstram que nem mesmo a câmera está no suporte. Então nós não estamos aqui alertando Bandido, alertando meliantes, que não está funcionando. Ele olha para cima ele sabe que não está, porque lá não está nem o equipamento. Talvez Vereador Aldir Toffanin, que o Senhor Acabou de relatar, que não era do nosso conhecimento. Agora é visível, claro, como diz os peritos aí, a vista descoberta, que não está lá as câmeras de monitoramento. Que não estão lá há bastante tempo. As primeiras solicitações do comerciante André Bisol, com que eu conversei sobre esse assunto, porque ele está justamente num perímetro em que as duas câmeras não estão funcionando, é de que o primeiro alerta, teria sido feito em maio ou junho de 2016, estamos prestes há completar um ano sem o funcionamento dessas câmeras. Assim como é a questão das câmeras de monitoramento, a gente tem que ter o cuidado para não colocar culpa com relação a outros assuntos, que sabe com relação ao Hospital São Carlos que são de responsabilidade de quem abraçou a causa, que só piorou o problema, a crise de confiança, ela existe e ela não foi gerada pela população, ela foi gerada certamente pela falta de gestão aplicada naquela Casa de Saúde. Piorada, como a gente tem visto em todas as manifestações, piorada quando houve a intervenção daquele hospital. Então nós temos aqui Vereadores e colegas, um papel a cumprir, nós fomos eleitos para representar a comunidade e levantar as suas reivindicações, é isso que nós vamos fazer, seja, em qualquer um desses assuntos que nós vamos tratar nesta Casa Legislativa. Não na política do quanto pior melhor, e sim na política de tentar colaborar com quem hoje tem a responsabilidade de governar o município. Era isso, muito obrigado Senhor Presidente.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Obrigado Vereador Jonas Tomazini. A palavra está à disposição dos Senhores Vereadores. Com a palavra o Vereador Josué Paese Filho.

VER. JOSUÉ PAESE FILHO: Obrigado Senhor Presidente. Vereador Aldir Toffanin, sobre os terrenos baldios, essa novela já vem há muito tempo, já existe inúmeras Leis, que tem que fiscalizar, mas não é possível, no poder Executivo, precisaria ter no mínimo, uns 50 fiscais, em todas as áreas e assim mesmo, não daria conta. Logico que tem que ter um fiscal responsável, uma secretaria responsável, mas a fiscalização, temos que ser nós aqui dessa Casa e a população. Se tem um terreno lá na sua casa, na sua rua, que denuncie a Prefeitura, fale para a Prefeitura, aí sim a Prefeitura tem a obrigação de ir lá e notificar essa pessoa do terreno. Não tem condições, Farroupilha não é do tamanho dessa sala, e quantos terrenos baldios têm aí, e a Lei realmente existe, com multas, inclusive, está na Lei, não lembro agora o valor da multa, então eu acho que a Prefeitura pegar um carro, não só nessa administração, das outras passadas também e sair por aí fiscalizando, não tem, é difícil, então agora o Senhor sabe que tem a Lei né? Vamos procurar ligar para a Prefeitura, ligar para a secretária responsável, e cobrar da Prefeitura, aí sim, nós podemos cobrar. Sobre a segurança, quero dizer que o Vereador Tadeu já tinha levantado a semana passada, se eu não me engano, quantas tinham funcionando, quantas existiam em Farroupilha e quantas não estavam funcionando. O Senhor deu números, agora esse assunto  veio à tona de novo, mas nós vamos saber na realidade mesmo, no momento que a Tenente Coronel, nos receber, nós vamos buscar essas informações lá na Brigada também, ai não vai ficar esse diz que, diz que, não estou dizendo que o Vereador Jonas falou é “diz que diz que”, ou que o Vereador Tiago falou é “diz que diz que”, não, vamos ver o que realmente tem, porque quem monitora isso ai, é a Brigada Militar, agora eu também não tenho aqui procuração para defender ninguém, as eu acho que nós temos a obrigação, falando em segurança agora, de levantar o assunto dessa Casa. Com o Vereador Dr. Thiago agora, só para não confundir, levantou um assunto recentemente, de um médico né? Tem que levar sim aqui, não adianta, nós temos que discutir aqui, e a população tem que saber o que está acontecendo, porque a coisa anda, e porque a coisa não anda. Que não adianta um puxar para frente e dois puxarem para trás Vereador. Então nós temos que levantar os assuntos aqui e doa a quem doer. Doa para quem doer, Vereador Jonas acho que talvez, eu entendo Vereador Tiago, com todo respeito, com o que o Vereador Jonas falou da locação dessas câmeras, onde tem problemas para o Executivo se alertar, se não dá todas de uma vez, uma por vez, porque sei que o custo é alto, mas quero dizer o seguinte, quando o Sindilojas administrava esse setor, não tinha tantos problemas assim. Então eu acho que não sei, se não é bom repensar novamente e entregar esse trabalho da segurança para as entidades. Eu acho que o Prefeito querer levar tudo nas mãos dele é complicado. É segurança, é saúde, é isso, é aquilo. Então eu acho que o Prefeito deveria repensar a situação, chamar as entidades né Vereador Alberto Maioli, para ver qual o melhor caminho. Porque o nosso interesse aqui é dar segurança para a nossa população. Seja no centro, nos bairros ou no interior, é isso que nós temos que fazer e com certeza que essa Comissão de Segurança, nós vamos abraçar essa questão, né Vereador Aldir Toffanin, e Vereador José Mário Bellaver e vamos buscar todos esses problemas e vamos levar, tanto para a Brigada Militar, com a Policia Civil, o Executivo e aqui para essa Casa, vamos trabalhar, em conjunto, que assim que a gente resolve a situação, obrigado.

PRES. FABIANO ANDRÉ PICOLLI: Obrigado Vereador Josué Paese Filho, se nenhum Vereador quiser mais fazer uso da palavra, antes de declarar encerrados os trabalhos, eu só peço que cada Vereador converse com o nosso Assessor de imprensa, o Gabriel, para ver da foto das carteirinhas de Vereador, ou com Assessoras de bancadas para que passem as fotos, pode ser a mesma foto que está no site, para que a gente possa encaminhar a impressão das carteirinhas. Então declaro encerrados os trabalhos dessa Sessão. Muito obrigado, boa noite a todos e até amanhã.

 

 

 

Fabiano André Piccoli

Vereador Presidente

 

 

 

Sandro Trevisan

Vereador 1º Secretário

 

OBS: Gravação, digitação e revisão de atas: Assessoria Legislativa.