Pular para o conteúdo
22/08/2017 05:59:33 - Farroupilha / RS
Acessibilidade
Atualizado em 8 de agosto de 2017

Comitiva conhece a água de Ivoti e Novo Hamburgo

Fotos: Gabriel Venzon

Durante a segunda-feira, uma comitiva envolvendo as Secretarias de Planejamento, Meio Ambiente, Ecofar e, o vereador presidente juntamente com a Comissão Parlamentar de Obras e Serviços Públicos esteve conhecendo os sistemas municipais de tratamento de água dos municípios de Ivoti e Novo Hamburgo.

Ambas as cidades emanciparam-se da Corsan, por entender que a Companhia não estava prestando o serviço adequado ao município, bem como não apresentavam a transparência necessária sobre os dados da rede de água do município.

Ivoti, município de 23 mil habitantes, iniciou sua municipalização a cerca de cinco anos tendo a captação da água via poços, conforme apresentou o diretor Gilmar Grub. A autarquia é constituída por oito funcionários que abastecem quase a totalidade do município. Já Novo Hamburgo, sua emancipação se deu há mais de 20 anos, pois na época, grande parte da população, que hoje é de 230 mil habitantes, não era totalmente atendida pela Companhia Estatal, vindo a ser após a municipalização.

O engenheiro Civil, Neri Chilanti, esteve presente na municipalização das duas cidades, por essa razão foi convidado pelo diretor-geral da Comusa de Novo Hamburgo, Sílvio Klein, para a reunião. Atualmente, consultor de Saneamento, Chilanti apresentou variados casos do Brasil que comprovam na municipalização do sistema de água, tarifas mais baixas, maior renda para investimentos, e mais agilidade nas obras.

No encontro, a Comitiva questionou o sistema de tratamento de esgoto dos municípios, que apontaram como a rede separadora absoluta a mais apropriada, porém por questões de investimentos, iniciou-se pela rede mista. Conforme o consultor de Saneamento, o custo previsto para tratar o esgoto, é entorno de R$ 1.000 a R$ 1.500 reais por habitante.

Próximos Eventos